Saiba onde estudar Engenharia Nuclear no Brasil

Categories: Educação, EngenhariaPublished On: 30 de novembro de 2021By
Compartilhe!

O mundo precisa cada vez mais de alternativas que reduzam o uso de combustíveis fósseis. Por isso, saber onde estudar Engenharia Nuclear no Brasil pode ser o primeiro passo para acompanhar essa tendência.

Se você acha que a energia nuclear não tem muita relevância no país ou no mundo, está muito enganado. Mesmo com apenas duas usinas em Angra dos Reis (RJ) funcionando e a terceira em obras, a energia nuclear é responsável por 3% da geração elétrica no Brasil. No mundo, esse número chega a 14%.

Por isso, ela pode não ser a Engenharia mais popular, mas não deixa de chamar a atenção de quem está querendo entrar na faculdade. Além de toda a importância desse recurso, você já deve ter se deparado com usinas nucleares em filmes ou séries, como “Chernobyl” e “Os Simpsons”.

Leia também: Três engenharias estão entre as carreiras mais procuradas do Brasil

O que é Engenharia Nuclear?

A Engenharia Nuclear é um dos cursos de graduação do tipo bacharelado que forma profissionais para estudar as reações nucleares e como os reatores podem gerar energia atômica.

Essa área traz especialistas em energia nuclear que serão, depois de formados, capacitados para trabalhar em usinas termonucleares e onde mais esse recurso e sua tecnologia for aplicado no dia a dia.

Um assunto que não pode ser deixado de lado quando a conversa é energia nuclear é a segurança. Por isso, as universidades contam com disciplinas que abordam toda a prevenção necessária para que a energia nuclear não seja causa de nenhum desastre contra a humanidade ou o meio ambiente.

Assim, durante a graduação, os estudantes terão muito contato , além das disciplinas gerais que a grande maioria dos estudantes de exatas vão encarar na faculdade.

Onde estudar Engenharia Nuclear?

Recentemente, a Universidade de São Paulo (USP), uma das universidades mais importantes do Brasil, passou a contar com o curso de Engenharia Nuclear na Escola Politécnica (Poli).

Antes dela, outra instituição das mais importantes do Brasil se tornou referência na formação de engenheiros nucleares: a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), que oferece o curso desde 2010.

Essas são as únicas universidades que possuem essa graduação específica no país. Por isso, é um curso que acaba tendo muita concorrência para poucas vagas. Na USP, por exemplo, são apenas 10 vagas para os estudantes, que irão se inscrever no curso de Engenharia Metalúrgica, de Materiais e Nuclear.

Se você pretende seguir essa carreira, vai precisar se organizar bastante para se dedicar aos estudos no período de vestibulares.

Mas o cenário de poucas faculdades pode ser alterado, já que o Plano Nacional de Energia 2050 (PNE 2050) inclui a energia nuclear no planejamento do Brasil. Com esse desenvolvimento, novas universidades podem abrir o curso para formar mais engenheiros nucleares qualificados.

Leia também: Conheça as faculdades de Engenharia mais difíceis de entrar pelo Enem

Grade Curricular de Engenharia Nuclear

Na UFRJ, o contato com conceitos da Engenharia Nuclear fica mais direto a partir do 3º ano de graduação, com as matérias mais específicas da área nuclear.

Na USP, o contato com esses assuntos também começa no 3º ano. Mas apenas a partir do 4º ano as disciplinas específicas da área passam a ser maioria na agenda dos estudantes.

A grade curricular é comum ao curso de Engenharia Metalúrgica, de Materiais e Nuclear, e os estudantes vão se aprofundar na Engenharia Nuclear durante o 7º e 8º períodos. Ao todo, são 14 disciplinas específicas na área nuclear no curso da USP.

Engenharia Nuclear na UFRJ

  • Métodos Matemáticos da Engenharia Nuclear
  • Física Nuclear Aplicada
  • Física de Reatores
  • Radioproteção Básica
  • Comportamento Mecânico dos Materiais
  • Engenharia de Reatores
  • Sistemas de Centrais Nucleares
  • Impacto Ambiental de Instalações Nucleares
  • Análise de Segurança de Centrais Nucleares
  • Fontes Alternativas de Energia
  • Ciclo do Combustível Nuclear
  • Análise de Riscos de Instalações Nucleares

Engenharia Nuclear na USP

  • Processamento de Combustíveis Nucleares
  • Física e engenharia de reatores nucleares
  • Termo-hidráulica de sistemas de geração de potência
  • Licenciamento de instalações nucleares
  • Radioproteção em aplicações nucleares
  • Segurança de instalações nucleares
  • Gerenciamento de Rejeitos Radioativos

Quanto tempo pra se formar?

Tanto na UFRJ como na USP, é preciso estudar 5 anos para se formar em Engenharia Nuclear, com os dois cursos divididos em 10 períodos.

Como toda graduação de engenharia do país, pelo menos 3 anos de formação serão exclusivos para matérias do famoso ciclo básico, como Cálculo e muita Física, mesclando com uma ou outra disciplina específica sobre a área nuclear.

Nos anos finais do curso, aí sim é hora de se especializar em Engenharia Nuclear e se preparar para exercer essa profissão, que atrai a curiosidade de muita gente.

Se você está pensando em entrar em um curso de Engenharia Nuclear ou qualquer outra engenharia, precisa conhecer o Responde Aí. Desde o primeiro semestre de faculdade, a plataforma é a melhor amiga do estudante de Exatas, que precisa daquela força extra para deixar os estudos para as provas em dia.

Leave A Comment