Skip to main content

Para quem ainda está cursando a faculdade, entender como funciona uma empresa júnior pode ser um diferencial. Isso porque participar de uma empresa como essa faz com que o estudante desenvolva diversas habilidades importantes.

Como integrante de uma empresa júnior, o aluno tem acesso a desafios e oportunidades de crescimento. Por isso, se você tem interesse em desenvolver o seu lado empreendedor, não deixe de conferir este conteúdo!

O que é uma empresa júnior?

Uma empresa júnior é uma instituição sem fins lucrativos formada dentro da universidade. Ela é construída por alunos de um ou mais cursos, e oferece serviços por valores mais baixos do que os do mercado.

O seu principal objetivo é criar uma ponte entre o mercado de trabalho e o ambiente acadêmico. Assim, promove o crescimento profissional e pessoal de estudantes que, por sua vez, também adquirem mais conhecimento sobre as suas áreas de atuação.

A empresa júnior atende, então, tanto aos clientes externos (empresas), quanto aos alunos e à própria universidade. É uma relação em que as três partes saem ganhando, com serviços mais baratos, mais desenvolvimento e mais reconhecimento, respectivamente.

Um exemplo de empresa júnior de sucesso é a Poli Jr. A empresa júnior dos estudantes de engenharia da USP criou o Last Piece: uma plataforma que compila a opinião de funcionários sobre as suas empresas. O produto foi usado durante a Great Place To Work (GPTW), premiação que seleciona as melhores empresas para se trabalhar no Brasil.

Outra empresa júnior da área é a CEFET Jr., que presta serviços de consultoria em gestão empresarial com clientes como Petrobras, Shell e Cultura Inglesa. A engenharia da UFF também tem empresas júnior, como a Agrha Consultoria, Meta Consultoria e Papo Design.

Leia também: Saiba onde fazer Engenharia de Produção e se prepare para essa carreira.

Quem pode participar de uma empresa júnior?

Qualquer aluno da graduação pode participar de uma empresa júnior. No entanto, é comum que cada empresa tenha um processo seletivo próprio e, desse modo, podem haver regras específicas.

De modo geral, esse processo tem as seguintes etapas:

  1. Prova de conhecimentos gerais, que pode ter questões ligadas ao curso ou à área de atuação da empresa;
  2. Dinâmica de grupo, feita com vários candidatos ao mesmo tempo;
  3. Entrevista, conduzida por alunos e professores que já participam da empresa.

No entanto, não é comum que a empresa júnior exija experiências anteriores ou conhecimentos específicos da área, como uso de algum programa. Afinal, a intenção é que os alunos aprendam lá dentro.

Leia também: Conheça as melhores faculdades de exatas para estudar em 2022!

Como funciona uma empresa júnior?

A empresa júnior é responsável por realizar serviços para pequenas e microempresas de diferentes setores. Como qualquer empresa tradicional, ela pode se responsabilizar pela atuação em diversos projetos.

A empresa júnior funciona como uma empresa tradicional, para todos os efeitos. Ou seja: ela possui CNPJ, e seu custo de abertura é, normalmente, pago pela própria universidade. 

Também é possível receber financiamento de outras maneiras, seja a partir de investidores externos, seja através de campanhas dentro da própria faculdade. Os alunos podem se juntar para conseguir reunir um valor mais alto, caso seja preciso fazer muitos investimentos na empresa.

A organização interna também pode ser dividida em departamentos, e não é incomum que haja uma presidência. No entanto, o tempo de ocupação dos cargos é definido anteriormente, e um professor fica responsável por acompanhar todos os alunos e projetos.

Como é o processo de abrir uma empresa júnior?

Para abrir uma empresa júnior é preciso, antes, definir exatamente o que você quer fazer. Por isso, é necessário construir um documento bem claro, no qual conste:

  • O seu projeto de empresa;
  • O seu plano de negócios;
  • Quem serão os membros;
  • Se há crédito financeiro, e quanto;
  • Como a universidade precisará contribuir.

Além disso, uma empresa júnior deve funcionar como uma empresa tradicional. Ainda que haja mais espaço para aprendizado, também é preciso considerar:

  • Como os negócios serão efetivados;
  • Qual é a estratégia de negócios;
  • Se os projetos podem crescer, e de que maneira;
  • Se haverá rotatividade de membros;
  • Quanto vocês esperam faturar;
  • Qual é o nível de satisfação dos clientes.

Por fim, você não pode deixar de se perguntar também os motivos pelos quais aquela empresa precisa existir. Afinal, onde você e os demais membros gostariam de chegar? quais são os seus objetivos com esse negócio?

Depois de responder todas essas perguntas e ter todos esses documentos reunidos, procure um professor que aceite acompanhar esse projeto. Só então você deverá ir até a diretoria da universidade, para formalizar o pedido.

Vale a pena fazer parte de uma empresa júnior na faculdade?

Com certeza! Além de ser uma maneira eficiente de começar a se familiarizar com o mercado de trabalho, a empresa júnior oferece uma série de vantagens para os alunos. 

Abaixo, separamos algumas das principais. Confira!

1. É um diferencial no currículo

Ao fazer parte de uma empresa júnior, o estudante passa a ter um tempo de experiência no currículo que faz toda a diferença para a sua carreira. Afinal, ao contrário de grande parte dos seus concorrentes, ele já possui conhecimentos práticos no mercado de trabalho.

Assim, a empresa júnior funciona como uma comprovação do seu valor profissional. Isso significa que ela pode te destacar em processos seletivos mais concorridos.

2. Promove crescimento pessoal e profissional

Outra importante vantagem da empresa júnior é a promoção de crescimento pessoal e profissional. Ao fazer parte de uma empresa, o aluno começa a desenvolver suas habilidades de resolução de problemas, trabalho em grupo, inteligência emocional, criatividade e muito mais.

Todas essas competências pessoais são cada vez mais procuradas no mercado de trabalho. Além disso, o estudante também passa a atuar diretamente em projetos, o que auxilia no seu desenvolvimento profissional.

3. Aumenta os seus contatos

Fazer parte de uma empresa júnior também é uma maneira eficaz de aumentar a sua rede de networking — ou seja, os seus contatos. Afinal, o estudante passa a conviver com diversos negócios já consolidados e tem a oportunidade de mostrar o seu trabalho.

Assim, essas empresas são uma ótima porta de entrada para futuras parcerias profissionais e oportunidades de trabalho mais sólidas.

Agora que você já entende como funciona a empresa júnior na faculdade, aproveite para conhecer o Responde Aí! Nós te ajudamos a estudar os mais diversos conteúdos do Ensino Superior. Com notas mais altas, a chance de você entrar em uma empresa júnior aumentam. Não perca tempo!

Leave a Reply