Enunciado

Ver Outros Exercícios
desse livro

Quando se aquecem 2,0 mol de C O 2 , na pressão constante de 1,25 atm, sua temperatura passa de 250 K até 277 K. A capacidade calorífica molar de C O 2 , a pressão constante, é 37,11   J K - 1 m o l - 1 . Calcule q ,   ∆ H     e   ∆ U .

Passo 1

Inicialmente precisamos analisar o problema para descobrir possíveis relações entre os termos que são pedidos. Se tratando de um processo com pressão constante, vamos ter que a variação de entalpia e o calor trocado terão o mesmo valor, logo:

∆ H = q p = n C p m ∆ T

E a variação da energia interna será igual a:

∆ U = ∆ H + n R ∆ T

Passo 2

Já encontramos todas as relações, agora é só jogar os dados nas fórmulas:

∆ H = q p = ( 2,00   m o l ) × ( 37,11   J K - 1 m o l - 1 ) × 277 - 250 K

∆ H = q p = 2 × 10 3 J m o l - 1

Passo 3

A variação da energia interna será:

∆ U = 2 × 10 3 J m o l - 1 - ( 2,00   m o l ) × ( 8,3145   J K - 1 m o l - 1 ) × ( 277 - 250 ) K

∆ U = 1,6 × 10 3   J m o l - 1

Resposta

∆ H = q p = 2,2 × 10 3 J m o l - 1

∆ U = 1,6 × 10 3   J m o l - 1

Exercícios de Livros Relacionados

Um certo vapor, a 22 atm e 5°C, se expande adiabaticamente até a press
Uma amostra de 1,00 mol de um gás perfeito monoatômico, aço Cvm=3/2 R,
O valor de C p para uma amostra de gás perfeito varia com a temperatur
Quando se aquecem 3,0 mol de O 2 , na pressão constante de 3,25 atm, s
Quando se queimam 120 mg de naftaleno, C 10 H 8 ( s ) , numa bomba cal