Teoria

Introdução

Fala aí, aqui é o Guga do Responde Aí! Tudo bem com você?

Nesse tópico nós iremos conversar sobre o último laço de repetição da abordagem que seguimos, estou me referindo ao comando de repetição for. De maneira geral, esse é um dos comandos de repetição mais utilizados, pois ele traz uma série de vantagens em relação aos outros, um bom exemplo é as facilidades em sua implementação. Por sinal, você sabe quais são elas?

Para entendermos de vez os chamados comandos ou laços de repetição, não podemos perder tempo.

Então, vamos nessa!

Comando for

O comando for, assim como todos os outros comandos de repetição, tem a função de executar diversas vezes as instruções presentes dentro de sua estrutura enquanto determinada condição for verdadeira.

Vale lembrar que sempre que falamos em condição, estamos nos referindo a uma comparação seja ela relacional ou lógica que gera como resultado um retorno booleano.

Certo, mas não precisamos pensar tanto para afirmarmos que todos os laços de repetição que vimos até agora fazem isso! Qual é a grande diferença do comando for, você sabe?

Calma jovem Padawan! Vamos falar disso agora mesmo.

O grande pulo do gato do comando for é que em seus parâmetros já é possível inicializar uma variável contadora, definir a condição de parada e definir a forma com que a variável contadora será incrementada ou decrementada a cada loop.

Ficou meio complexo? Então, vamos para um exemplo!

Suponha que nós tenhamos que desenvolver um programa que imprima todos os números no intervalo de 0 a 10 de forma decrescente.

Você tem alguma ideia de como fazer isso? Bom... Dá uma olhadinha nesse programa:

Nesse programa, uma variável contadora i foi declarada seguida da invocação de um comando de repetição for.

A parte que devemos nos atentar é que nos parâmetros do comando de repetição a variável contadora i já foi inicializada com o valor 10, da mesma forma que uma condição para a execução das instruções presentes na estrutura foi definida ( i ≥ 0 ) juntamente com o decremente da variável contadora, todos separados por ponto e vírgula.

O que irá acontecer é que a instrução de impressão na tela localizada dentro da estrutura será executada logo após o retorno verdadeiro da condição i ≥ 0 . Após isso, o decremento de i em uma unidade inteira será realizado, pois ele foi definido nos parâmetros do comando.

Portanto, nós não precisamos adicionar explicitamente uma instrução de decremento na estrutura, pois a definição feita nos parâmetros do comando garante que a cada loop executado a variável contadora i diminua, essa por sua vez em algum momento atingirá um valor menor que 0 e fará com que a condição de execução seja falsa e saia do laço de repetição.

Beleza, que tal mais um exemplo?

Suponha que tenhamos que desenvolver um programa que realize a impressão de todas as letras no alfabeto na tela.

Após o desenvolvimento, teríamos o seguinte código:

Você notou que esse programa é bem parecido com o anterior?

Para falar a verdade, a única adaptação que tivemos que fazer foi tornar a variável contadora i do tipo char, e, nos parâmetros do comando for, inicializá-la com o valor 65, definir a condição dos loops ( i ≤ 90 ) e o incremento de i.

Porém, um conhecimento importante para a realização desse exemplo é lembrar que o tipo char pode ser manipulado através de números inteiros, além disso devemos lembrar que o número 65 equivale ao caractere “A” e o número 90 ao caractere “Z” na tabela ASCII.

Fala sério... Mamão com açúcar, né?

IMPORTANTE! Lembre-se que o parâmetro do comando de repetição for é formado pelos seguintes itens:

  1. Inicialização de variáveis;
  2. Condição;
  3. Forma de atualização das variáveis.

De maneira geral, o comando de repetição for é definido da seguinte forma:

Nós acabamos de ver toda a teoria por trás do comando for, mas como tudo na programação, existem milhares de maneiras e situações para realizar a implementação desse comando. Por esse motivo, eu te convido a fazer os exercícios de fixação.

Te encontro na página aqui do lado!

Exercícios Resolvidos