Fórmulas Químicas

Resumo Completo

Fórmulas Químicas

Relaxa, esse capítulo é bem curtinho.

As fórmulas químicas são formas que a gente usa pra representar determinado composto.

Cada fórmula nos dá algum tipo de informação.

Para representar o ácido ascórbico (vitamina C), por exemplo, a gente pode mostrar os átomos presentes na molécula e as ligações entre eles. Nesse caso estaremos usando sua fórmula estrutural.

Outra forma de representar o ácido ascórbico é através de sua fórmula molecular. Nela a gente só vai informar quais são os átomos presentes na molécula.

C 6 H 8 O 6

E você pode contar ali na fórmula estrutural para encontrar os 6 carbonos, os 8 hidrogênios e os 6 oxigênios. Alguns hidrogênios não são mostrados, mas sempre que o carbono estiver fazendo menos de quatro ligações, existem hidrogênios implícitos na estrutura.

E uma forma ainda mais abreviada de representar a estrutura de um composto é através de sua fórmula empírica ou fórmula mínima. A fórmula mínima mostra apenas a proporção entre os átomos da molécula. É como se você pegasse a fórmula do composto e simplificasse os índices (os numerozinhos subescritos) pelo maior denominador comum entre eles.

Pro ácido ascórbico, a gente vê que o maior denominador comum entre 6, 8 e 6 é 2. Dividindo os índices por 2, a fórmula empírica do composto fica:

C 3 H 4 O 3

Resumindo...

A fórmula mínima/empírica nos mostra apenas quais elementos estão presentes em um composto e em que proporções.

A fórmula molecular nos diz quantos átomos de cada elemento estão presentes em uma molécula de um composto.

E a fórmula estrutural nos mostra, ainda, as ligações entre os átomos.

A maioria dos exercícios envolvendo fórmulas químicas pedem pra você converter uma na outra. Então você vai precisar saber as informações que cada fórmula dá e usar um pouquinho de matemática para convertê-las.

Se quiser ver como funciona, a gente preparou uns exercícios de fixação bem legais pra você!

Expandir

Exercício Resolvido #1

Enunciado

Peter Atkins & Loretta Jones. Princípios da Química, 5ª ed. Porto Alegre: Bookman, 2012, pp F49-F.4.

A espectrometria de massas dá para a vitamina C a massa molar 176,12   g . m o l - 1 . Sabendo que a fórmula empírica é C 3 H 4 O 3 , qual é a fórmula molecular da vitamina C?

MOSTRAR SOLUÇÃO PASSO A PASSO

Passo 1

Aqui o objetivo é passar da fórmula mínima para a fórmula molecular.

E como fazemos isso?

Vamos calcular a “massa molar” do composto caso sua fórmula molecular fosse igual a sua fórmula mínima.

Depois, vamos diviir a massa molar real pela massa molar da fórmula mínima. Assim, vamos ver quantas vezes a fórmula mínima precisa ser multiplicada para “atingir” a fórmula molecular.

Partiu?

Passo 2

Massa molar da fórmula unitária:

M M C 3 H 4 O 3 = 3   x   M M C + 4   x   M M H + ( 3   x   M M O )

M M C 3 H 4 O 3 = 3   x   12,01 + 4   x   1,01 + 3   x   16,00 = 88,07   g / m o l

Passo 3

Dividindo a massa molar da vitamina C (fornecida pelo enunciado) pela massa molar da fórmula mínima, encontramos:

176,12 88,07 2

Portanto, na fórmula molecular da vitamina C, multiplicamos os índices da fórmula mínima pelo fator 2 :

C 3 x 2 H 4 x 2 O 3 x 2 = C 6 H 8 O 6

Resposta

C 6 H 8 O 6

Exercício Resolvido #2

Enunciado

UFRJ – Química Geral I (Estequiometria, teoria atômica e periódica). Prof. Emerson. Questão 02.

Dê a fórmula mínima de cada um dos seguintes compostos, se uma amostra contém:

a) 0,0130 mol de C , 0,0390 mol de H e 0,0065 mol de O ;

b) 11,66 g de ferro e 5,01 g de oxigênio.

MOSTRAR SOLUÇÃO PASSO A PASSO

Passo 1

a) A fórmula mínima deverá mostrar a proporção entre C ,   H   e   O ( 0,0130 : 0,0390 : 0,0065 ) através de números inteiros.

Analisando o número de mols de cada elemento, percebemos que 0,0065 é a metade de 0,0130 , que é um terço de 0,0390 .

Portanto, se representarmos a quantidade de oxigênio ( 0,0065 mol) por 1 , a quantidade de carbono ( 0,0130 ) deverá ser 2, para que seja o dobro. E a quantidade de H, para que seja o triplo da quantidade de carbono, deverá ser 6.

A fórmula mínima é, então, dada por:

C 2 H 6 O 1 = C 2 H 6 O

Passo 2

b) No item b, vamos transformar as massas fornecidas em número de mol através da massa molar dos elementos. E analisaremos as proporções entre os números de mols para determinar a fórmula mínima.

Olha aí a massa molar do ferro e do oxigênio:

M M F e = 55,8   g / m o l

M M O = 16,0   g / m o l

E as massas de F e e O , dadas no enunciado:

m F e = 11,66   g

m O = 5,01   g

Portanto, o número de mols de cada um pode ser calculado por:

n F e = m F e M M F e = 11,66 55,8 = 0,2   m o l

n O = m O M M O = 5,01 16,0 = 0,3   m o l

E a fórmula mínima poderia ser assim:

F e 0,2 O 0,3

Só que não.

Porque a gente precisa de números inteiros como índices, certo?

Mantendo as proporções, a fórmula mínima do composto será:

F e 2 O 3

Resposta

a) C 2 H 6 O

b) F e 2 O 3

Exercício Resolvido #3

Enunciado

UFS – Lista de Físico-Química. Prof. Dr. Juvenal Filho. Questão 05.

Sabendo que a fórmula mínima do benzeno é C H e que a sua massa molar é de 78   g . m o l - 1 , determine a fórmula molar do benzeno.

MOSTRAR SOLUÇÃO PASSO A PASSO

Passo 1

Mais uma vez vamos calcular a “massa molar” da fórmula mínima e ver quantas vezes ela precisa ser repetida para atingir a massa molar do benzeno.

O fator que multiplica a massa molar da fórmula mínima para atingir a massa molar será o mesmo que multiplicará os índices na fórmula mínima para atingir a fórmula molecular (que foi chamada de fórmula molar).

Passo 2

A massa molar da fórmula mínima será dada por:

M M C H = 1   x   M M C + 1   x   M M H = 12,01 + 1,01 = 13,02   g / m o l

A razão entre a massa molar do benzeno e de sua fórmula mínima é, então:

M M b e n z e n o M M C H = 78 13,02 = 5,99

Como precisamos de um número inteiro, vamos considerar que o fator seja 6.

Passo 3

A fórmula molecular do benzeno será, então:

C 1 x 6 H 1 x 6 = C 6 H 6

Resposta

C 6 H 6

Exercício Resolvido #4

Enunciado

Peter Atkins & Loretta Jones. Princípios da Química, 5ª ed. Porto Alegre: Bookman, 2012, pp F46-Teste F.1A. Modificado.

Há séculos, os aborígenes australianos usam folhas de eucalipto para aliviar gargantas irritadas e outras dores. O ingrediente ativo primário foi identificado e recebeu o nome de eucaliptol. A análise de uma amostra de eucaliptol de massa total 3,16 g mostrou em sua composição 2,46 g de carbono, 0,369 g de hidrogênio e 0,332 g de oxigênio. Determine as percentagens em massa de carbono, hidrogênio e oxigênio no eucaliptol. Determine ainda sua fórmula molecular, sabendo a massa molar do composto é igual a 154,25 g/mol.

MOSTRAR SOLUÇÃO PASSO A PASSO

Passo 1

Pro cálculo de composição percentual a gente só vai dividir a massa de cada um dos elementos pela massa total da amostra.

Quem prefere calcular porcentagem por regra de três, fica a vontade viu. Somos de exatas e sabemos que a matemática nos permite calcular por caminhos diversos chegando ao mesmo resultado.

% C = m C m a m o s t r a . 100 = 2,46 3,16 . 100 = 77,8   %

% H = m H m a m o s t r a . 100 = 0,369 3,16 . 100 = 11,7   %

% O = m O m a m o s t r a . 100 = 0,332 3,16 . 100 = 10,5   %

Passo 2

Pra determinar a fórmula molecular, precisamos determinar a fórmula mínima primeiro.

Para isso, vamos calcular o número de mols de cada um dos elementos na amostra mencionada pelo enunciado.

Na tabela periódica vemos que:

M M C = 12,01   g / m o l

M M H = 1 , 01   g / m o l

M M O = 16,00   g / m o l

E o número de mols dessa galera pode ser calculado por:

n C = m C M M C = 2,46 12,01 = 0,2

n H = m H M M H = 0,369 1,01 = 0,36

n O = m O M M O = 0,332 16,00 = 0,02

Vamos considerar que a fórmula mínima contem 1 oxigênio.

Como a proporção entre C e O é dada por 0,2 / 0,02 = 10 , a fórmula mínima terá 10 carbonos.

Sendo a proporção entre H e C dada por 0,36 / 0,2 = 1,8 , a fórmula mínima terá 18 hidrogênios.

C 10 H 18 O

Passo 3

Por último, precisamos transformar a fórmula mínima em fórmula molecular.

Para isso vamos calculr a massa molar da fórmula mínima, dividir a massa molar por essa massa que calculamos e determinar qual o fator que multiplicando a fórmula mínima nos leva à fórmula molecular.

A massa molar da fórmula mínima será:

M M C 10 H 18 O = 10   x   M M C + 18   x   M M H + ( 1   x   M M O )

M M C 10 H 18 O = 10   x   12,01 + 18   x   1,01 + 1   x   16,00 = 154,28   g / m o l

Dividindo a massa molar do eucaliptol (fornecida pelo enunciado) pela massa molar da fórmula mínima, encontramos:

154,25 154,28 1

Portanto, na fórmula molecular coincide com a fórmula mínima.

Resposta

% C = 77,8   %

% H = 11,7   %

% O = 10,5   %

Fórmula molecular: C 10 H 18 O

Exercício Resolvido #5

Enunciado

Unicamp – Química Geral e Inorgânica. Prof. Nelson. P1-2015.1. Questão 01.

Uma amostra de N 2 O (monóxido de dinitrogênio) contendo 4,33 g é composta de 63,65% de nitrogênio ( N ) e 36,35% de oxigênio ( O ), em massa. Qual a composição percentual de uma amostra de 14,9 g de N 2 O ?

MOSTRAR SOLUÇÃO PASSO A PASSO

Passo 1

Isso aí tá ate parecendo pegadinha.

Mas olha só... A porcentagem em massa (composição percentual) de uma amostra é uma propriedade intensiva, ou seja, independe da quantidade de massa analisada.

Portanto, se você pegar 1 g de uma amostra ou 100 g da mesma amostra, a composição percentual delas será a mesma!

Passo 2

Se 4,33 g de uma amostra de N 2 O tem composição percentual igual a 63,65% de nitrogênio e 36,35% de oxigênio , a composição percentual de uma amostra de 14,9 g do mesmo composto será igual: 63,65% de nitrogênio e 36,35% de oxigênio.

Aliás, qualquer amostra de N 2 O puro terá essa composição. Olha só:

Em 1 mol de N 2 O ( 44 g), a gente tem 2 mols de N ( 28 g) e 1 mol de O ( 16 g).

Portanto, a composição percentual será dada por:

% O = m O m N 2 O . 100 = 16 44 . 100 = 36,4 %

% N = m N m N 2 O . 100 = 28 44 . 100 = 63,6 %

Resposta

63,65% de nitrogênio e 36,35% de oxigênio.

Exercício Resolvido #6

Enunciado

USP – Lista de Exercícios de Estequiometria. Questão 05.

O cobre forma dois óxidos. Em um deles, existem 1,26 g de oxigênio combinado com 10,0 g de cobre. No outro, existem 2,52 g de oxigênio combinados com 10,0 g de cobre. Demonstre que estes dados ilustram a lei das proporções múltiplas.

MOSTRAR SOLUÇÃO PASSO A PASSO

Passo 1

Primeiramente, o que é essa tal lei das proporções constantes?

Essa lei foi enunciada por Dalton. Aquele do modelo atômico bola de bilhar.

Como Dalton ficava lá dizendo que o átomo era indivisível, ele acreditava que, ao formar compostos, os átomos se combinavam através de números inteiros.

Ou seja: era impossível você ter 1 átomo de hidrogênio se combinando com 0,5 átomos de oxigênio. Se esses caras se combinavam na razão de 2:1, então 2 átomos de hidrogênio deveriam se combinar com 1 átomo de oxigênio.

Embora o modelo atômico de Dalton tenha caído em desuso, a Lei das Proporções Múltiplas é válida!

Ela diz que os átomos se combinam através de números inteiros e que, caso dois elementos sejam capazes de se combinar formando mais de um composto (tipo N O , N 2 O , N O 2 ...), caso a gente fixe a massa de um dos elementos em todos os compostos, as massas do outro elemento nos diferentes compostos terão entre si uma razão inteira.

Entre N O e N 2 O , por exemplo, fixando a massa de oxigênio com 16 g, temos 14 g e 28 g de nitrogênio, respectivamente. E a razão entre 28 e 14 é um número inteiro: 2 .

Passo 2

O papo tá bom (mentira), mas vamos para o que interessa.

No primeiro óxido entre Cu e O, o número de mols de Cu é dado por:

n C u = m C u M M C u = 10 63,546 = 0,16

E o número de mols de O:

n O = m O M M O = 1,26 16,00 = 0,08

Como o número de mols de Cu é o dobro do de O, a fórmula mínima desse óxido seria C u 2 O .

E no segundo óxido:

n C u = m C u M M C u = 10 63,546 = 0,16

n O = m O M M O = 2,52 16,00 = 0,16

Como o número de mols de Cu e O são iguais, a fórmula mínima do óxido será C u O .

E os átomos então combinado através de números inteiros, mas isso meio que a gente “faz acontecer” né.

Passo 3

Mas a Lei das Proporções Múltiplas diz que fixando a massa de um dos elementos, as massas do outro elemento terão entre si uma razão inteira.

O enunciado já fixa a massa de Cu em 10 g, só precisamos ver se, de fato, a razão entre as massas de oxigênio dos dois óxidos é um número inteiro:

2,52 1,26 = 2

Beleza! Os óxidos de cobre expostos estão ilustrando a lei das proporções múltiplas.

Resposta

2,52 1,26 = 2

Exercício Resolvido #7

Enunciado

UFS – Lista de Físico-Química. Prof. Dr. Juvenal Filho. Questão 02.

Qual a fórmula molecular de cada um dos compostos?

a) Fórmula mínima C H 2 , massa molar = 84 g/mol

b) Fórmula mínima N H 2 C l , massa molar = 51,5 g/mol

c) Fórmula mínima H C O 2 , massa molar = 90 g/mol

MOSTRAR SOLUÇÃO PASSO A PASSO

Passo 1

Faremos a mesma coisa nos três itens:

Primeiro calculamos a massa molar da fórmula mínima.

Depois calculamos a razão entre a massa molar do composto e da fórmula mínima.

Por último, utilizamos o fator calculado acima para multiplicar a fórmula mínima, encontrando a fórmula molecular.

Passo 2

a)

M M C H 2 = 1 x M M C + 2 x M M H = 1 x 12,0 + 2 x 1,0 = 14,0 g / m o l

M M f .   m o l e c u l a r M M C H 2 = 84 14 = 6

Fórmula molecular será a fórmula mínima com os índices multiplicados pelo fator 6:

C 1 x 6 H 2 x 6 = C 6 H 12

Passo 3

b)

M M N H 2 C l = 1 x M M N + 2 x M M H + ( 1 x M M C l )

M M N H 2 C l = 1 x 14,0 + 2 x 1,0 + 1 x 35,5 = 51,5   g / m o l

M M f .   m o l e c u l a r M M N H 2 C l = 51,5 51,5 = 1

E a fórmula mínima coincide com a fórmula molecular!

N H 2 C l

Passo 4

c)

M M H C O 2 = 1 x M M H + 1 x M M C + ( 2 x M M O )

M M H C O 2 = 1 x 1,0 + 1 x 12,0 + 2 x 16,0 = 45   g / m o l

M M f .   m o l e c u l a r M M H C O 2 = 90 45 = 2

E a fórmula molecular será a fórmula mínima com os índices multiplicados pelo fator 2:

H 1 x 2 C 1 x 2 O 2 x 2 = H 2 C 2 O 4

Resposta

C 6 H 12

N H 2 C l

H 2 C 2 O 4

Exercício Resolvido #8

Enunciado

UFRJ/IQ – Química Geral. Prof. Luiz Fernando Malta. P3. Questão 03.

A combustão de 11,5 g de etanol forneceu 22,0 g de C O 2 e 13,5 g de H 2 O . Determine a sua fórmula mínima.

MOSTRAR SOLUÇÃO PASSO A PASSO

Passo 1

A combustão envolve a reação de um composto com oxigênio (é uma oxidação). Caso a combustão seja completa, os produtos serão C O 2 e água ( H 2 O ).

Então a combustão do etanol será algo como (não balanceada):

e t a n o l + O 2 C O 2 + H 2 O

Vamos fingir que a gente não tem a menor idéia de como é o composto etanol, ok?

Observe que, como temos carbono e hidrogênio nos produtos, o etanol precisar ter esses elementos na sua fórmula química. Além disso, ele pode ou não ter oxigênio.

C x H y O z + O 2 C O 2 + H 2 O   ( n ã o   b a l a n c e a d a )

Passo 2

Como foi dada a massa de C O 2 e H 2 O formada, e podemos descobrir a massa de O 2 consumida (por diferença entre a massa de produtos e reagentes), assim como a massa molar dessa galera, vamos descobrir o número de mols envolvidos na reação.

M M H 2 O = 2 x 1,0 + 1 x 16,0 = 18,0   g / m o l

M M C O 2 = 1 x 12 , 0 + 2 x 16,0 = 44,0   g / m o l

M M O 2 = 2 x 16,0 = 32,0   g / m o l

m H 2 O = 13,5   g

m C O 2 = 22,0   g

m O 2 = 2 2,0 + 13,5 ) - ( 11,5 = 24,0   g

n H 2 O = 13,5 18,0 = 0,75   m o l

n C O 2 = 22,0 44 , 0 = 0 , 5 0   m o l

n O 2 = 24 , 0 32 , 0 = 0,75   m o l

O que faz com que a nossa equação química “semi-balanceada” fique igual a:

e t a n o l + 0,75   O 2 0,5   C O 2 + 0,75   H 2 O

Trabalhando com número inteiros:

C x H y O z + 3   O 2 2   C O 2 + 3   H 2 O

Como temos 2 carbonos do lado direito da equação, precisamos ter 2 carbonos no lado esquerdo:

C 2 H y O z + 3   O 2 2   C O 2 + 3   H 2 O

Contando os hidrogênios e os oxigênios:

C 2 H 6 O 1 + 3   O 2 2   C O 2 + 3   H 2 O

E a fórmula mínima do etanol foi encontrada!

Perceba que todos os índices são inteiros e não podemos reduzir a fórmula ainda mais porque temos um índice igual a 1!

C 2 H 6 O

Resposta

C 2 H 6 O

Exercício Resolvido #9

Enunciado

UFRJ – Química Geral I (Estequiometria, teoria atômica e periódica). Prof. Emerson. Questão 5. Modificada.

O glutamato monossódico (GMS) é suspeito de ser o responsável pela “síndrome do restaurante chinês”. Nos indivíduos sensíveis, os sintomas começam 20 minutos após a ingestão do glutamato monossódico. O GMS tem a seguinte composição em massa: 35,51% C, 4,80% H, 37,82% O e 8,29% N e 13,60% Na.

Qual a fórmula molecular desse composto, sabendo que a sua massa molar é cerca de 170 g?

MOSTRAR SOLUÇÃO PASSO A PASSO

Passo 1

Para transformar a composição percentual em fórmula molecular, começamos “fingindo” que temos uma amostra de 100 g do composto. Neste caso, teremos 35,51 g de C, 4,80 g de H, 37,82 g de O, 8,29 g de N e 13,60 g de Na.

Com essas massas e as massas molares dos elementos, vamos calcular o número de mols de cada elemento na fórmula mínima. Confere a massa dos elementos na tabela periódica.

n C = m C M M C = 35,51 12,01 = 3,0

n H = m H M M H = 4,80 1,01 = 4,8

n O = m O M M O = 37,82 16,00 = 2,4

n N = m N M M N = 8,29 14,01 = 0,6

n N a = m N a M M N a = 13,60 22,99 = 0,6

A nossa fórmula mínima deve obedecer, portanto, a seguinte proporção:

C 3 H 4,8 O 2,4 N 0,6 N a 0,6

Mas só podemos usar números inteiros.

Uma boa estratégia para fazer isso é igualar o menor n a 1. Nesse caso estaremos usando um fator de multiplicação igual a 1 0,6 = 1,67 , que deverá ser aplicado a todos os compostos:

C 3 x 1,67 H 4,8 x 1,67 O 2,4 x 1,67 N 0,6 x 1,67 N a 0,6 x 1,67 =   C 5 H 8 O 4 N 1 N a 1 = C 5 H 8 O 4 N N a

Fórmula mínima encontrada!

Para transformar a fórmula mínima em fórmula molecular, vamos usar a massa molar do composto.

Passo 2

O enunciado já diz que:

M M G M S = 170   g / m o l

E a massa molar da fórmula mínima é dada por:

M M f . m í n i m a = 5 x M M C + 8 x M M H + 4 x M M O + 1 x M M N + ( 1 x M M N a )

M M f . m í n i m a = 5 x 12,01 + 8 x 1,01 + 4 x 16,00 + 1 x 14,01 + 1 x 22,99

M M f . m í n i m a = 169,13

Para a determinação da fórmula molecular, dividimos a massa molar pela massa molar da fórmula mínima, obtendo:

M M G M S M M f .   m í n i m a = 170 169,13 = 1,005

Como precisamos de um valor inteiro, utilizamos a aproximação 1 .

Portanto, a fórmula molecular será idêntica à fórmula mínima.

C 5 H 8 O 4 N N a

Já podíamos desconfiar, considerando que o nome do composto é MONOssódico né?!

Resposta

C 5 H 8 O 4 N N a

Exercício Resolvido #10

Enunciado

Unicamp – Química Geral e Inorgânica. Prof. Nelson. P3 – 2015.1. Questão 03. Modificada.

O gás cianogênio é composto de 46,2% de C e 53,8% de N em massa. A 25°C e 751 torr, 1,05 g deste gás tóxico ocupa 500 mL. Considerando que o gás tenha comportamento ideal, defina a fórmula molecular desse gás.

Dados:

R = 0,082 L.atm/mol.K

1 torr = 0,0013 atm

M M C = 12,0 g/mol

M M N = 14,0   g/mol

Lei dos gases ideais:

P V = n R T

MOSTRAR SOLUÇÃO PASSO A PASSO

Passo 1

A questão envolve essa parte de gases ideais que talvez você ainda não tenha estudado.

Mas vamos no passo-a-passo que vai dar tudo certo!

Para transformar a composição percentual em fórmula molecular, começamos “fingindo” que temos uma amostra de 100 g do gás. Neste caso, teremos 46,2 g de C e 53,8 g de N.

Com essas massas e as massas molares do C e do N, vamos calcular o número de mols de C e N na fórmula mínima.

n N = m N M M N = 53,8 14,0 = 3,8

n C = m C M M C = 46,2 12,0 = 3,8

Então a proporção molar entre C e N no gás cianogênio é de 1:1. E a fórmula mínima será dada por: C N .

Mas a fórmula molecular pode ser: C N , C 2 N 2 , C 3 N 3 ...

Para transformar a fórmula mínima em fórmula molecular, precisamos conhecer a massa molar do composto.

Passo 2

Pra isso, vamos utilizar a lei dos gases ideais, que nos diz o volume ( V ) ocupado por determinado número de mols ( n ) de um gás, dada determinada condição de temperatura ( T ) e pressão ( P ):

P V = n R T ,

Onde R é a constante dos gases ideais.

Pelo enunciado temos que:

P = 751   t o r r   x   0,0013   a t m t o r r = 0,976   a t m

V = 0,5   L

R = 0,082   L . a t m m o l . K

T = 25 + 273 = 298   K

Observe que o R “definiu” quais unidades a gente precisou usar pra P ,   V   e   T .

Calculando então:

0,976.0,5 = n . 0,082.298

n = 0,488 24,44 = 0,02   m o l

O enunciado nos diz, ainda, que a amostra é de 1,05 g do gás.

Podemos então calcular a massa molar do gás por:

n = m M M

0,02 = 1,05 M M

M M = 52,5   g / m o l

Passo 3

Para a determinação da fórmula molecular, dividimos a massa molar pela massa molar da fórmula mínima, obtendo:

M M g á s   c i a n o g ê n i o M M f ó r m u l a   m í n i m a = 52,5 ( 14 + 12 ) = 2,02

Como precisamos de um valor inteiro, utilizamos a aproximação 2 .

Portanto, a fórmula molecular será a fórmula mínima com os índices multiplicados pelo fator 2:

C 2 x 1 N 2 x 1 = C 2 N 2

Resposta

C 2 N 2

Esse conteúdo é exclusivo para cadastrados.

Cadastre-se grátis no maior portal de exatas do Brasil!

Relaxa, não vamos publicar nada no seu nome.

  • Resumões direto ao ponto
    Resumões
    direto ao ponto
  • Exercícios resolvidos passo a passo
    Exercícios resolvidos
    passo a passo
  • Videoaulas incríveis
    Videoaulas
    incríveis
  • Aulões Salva-Vidas
    Aulões
    Salva-Vidas