Teoria de Bronsted-Lowry

Teoria Completa

Faaala galera! Vamos dar uma olhada em teorias de ácidos e bases?

Normalmente, a gente tá mais acostumado com aquele conceito de que ácido libera H + e base libera O H - . Então, o primeiro passo é descontruir isso.

Sério, você precisa entender que além dessa história de H + e O H - , outros caras propuseram outros modelos pra explicar o que faz com que uma substância tenha comportamento ácido, básico ou neutro.

E a gente vai ver os principais deles.

Definição de ácido e base

Bronsted propôs que os caras que tinham comportamento ácido eram aqueles capazes de doar prótons (próton = H + ). Já as substâncias de caráter básico eram aquelas capazes de receber prótons.

Ácidos: doam H + .

Bases: recebem H + .

Portanto, a teoria de Bronsted-Lowry está baseada na transferência de prótons, do ácido para a base.

Em uma reação ácido-base, identificamos quem está doando e quem está recebendo o próton:

H C N + H 2 O ⇄ C N - + H 3 O +

Dá pra ver que o H C N doa um H + pra água?

Então, na reação, o H C N é o ácido e o H 2 O é a base.

Mas tá vendo que a reação é reversível? Tem aquela dupla seta ali! Vamos olhar a reção pelo outro lado:

C N - + H 3 O + ⇄ H C N + H 2 O

Agora o H 3 O + está doando um próton para o C N - . Então o H 3 O + está agindo como ácido e o C N - é a base.

A gente pode entender, então, que ao doar um próton, o ácido forma uma base. No caso, o H C N está formando o C N - e o ácido H 3 O + está formando o H 2 O .

E isso faz muito sentido. Ao doar um próton, o cara forma uma espécie capaz de receber esse próton de volta.

Par conjugado

O ácido e a base que ele “produz” formam um par conjugado.

Em relação à força, um ácido forte é aquele que libera H + com facilidade. E a base forte é aquela que recebe H + com facilidade.

Por isso, se um ácido é forte, a base conjugada dele é fraca.

Se uma base é forte, o ácido conjugado dela é fraco.

Assim, um ácido forte libera o H + e não tem tendência de aceitá-lo de volta. No exemplo ali de cima, se o H C N é forte, ele vai liberar o H + e o C N - não vai ter tendência de pegar esse H + de volta. Ou seja, o C N - vai ser uma base fraca.

Força dos ácidos e das bases

A gente já viu que pro ácido ser forte, a base conjugada dele tem que ser fraca.

Mas o que faz com que uma base seja fraca?

Uma base é fraca se ela for bem estável no meio. Tão estável que ela não queria/não precise capturar um H + .

Alguns fatores que fazem com a base seja estável no meio (e, portanto, fraca) são uma carga pequena (ou ausência de carga) e a ressonância, que causa um espalhamento da carga.

A força dos ácidos e das bases pode ser definida pelo K a e K b desses caras.

Mas isso a gente vai ver em um capítulo mais adiante ok? Quando falarmos mais sobre reações em equilíbrio.

Espécies anfóteras

Utilizando o conceito de Bronsted-Lowry, uma mesma espécie pode se comportar ora como base, ora como ácido.

Essas espécies com comportamento duplo ácido-base são chamadas de anfóteras.

Lembra que ali em cima a água tava agindo como base? Aceitando o H + do H C N . Na reação abaixo ela doa um próton pro N H 3 , se comportando como ácido.

H 2 O + N H 3 ⇄ N H 4 + + O H -

Portanto, a água tem caráter anfótero pelo conceito de Bronsted.

Isso acontece para muitas espécies.

Vamos fazer uns exercícios passo a passo pra fixar isso tudo?

Expandir

Exercício Resolvido #1

IFRN – Lista de Exercícios sobre Equilíbrio Aquoso. Prof. Albino Oliveira Nunes. Questão 01.

Qual a definição de BrØnsted-Lowry de ácidos e de base?

MOSTRAR SOLUÇÃO COMPLETA

Passo 1

Pergunta simples pra aquecer os motores.

E é importante que a definição fique bem clara né?

Então, relembrando:

Pra Bronsted-Lowry: ácido é quem doa prótons e base é quem recebe prótons.

Resposta

Exercício Resolvido #2

IFRN – Lista de Exercícios de Equilíbrio Aquoso. Prof. Albino Oliveira Nunes. Questão 05.

Identificar o ácido, a base, o ácido conjugado e a base conjugada em cada uma das seguintes reações:

  1. H C l O 4 + N 2 H 4 ⇄ N 2 H 5 + + C l O 4 -
  2. C O 3 2 - + H 2 O ⇄ H C O 3 - + O H -
  3. N O 2 - + N 2 H 5 + ⇄ H N O 2 + N 2 H 4
  4. H C N + H 2 S O 4 ⇄ H 2 C N + H S O 4 -
MOSTRAR SOLUÇÃO COMPLETA

Passo 1

a) Vamos lá. O ácido é quem está doando o próton, a base é quem está recebendo. Ao doar o próton, o ácido forma a sua base conjugada. Ao receber o próton, a base forma seu ácido conjugado.

Ácido: H C l O 4

Base: N 2 H 4

Base conjugada: C l O 4 -

Ácido conjugado: N 2 H 5 +

Atenção! Também podemos dizer que o H C l O 4 é o ácido conjugado do C l O 4 - e o N 2 H 4 é a base conjugada do N 2 H 5 + .

Passo 2

b) Ácido: H 2 O

Base: C O 3 2 -

Base conjugada: O H -

Ácido conjugado: H C O 3 -

Passo 3

c) Ácido: N 2 H 5 +

Base: N O 2 -

Base conjugada: N 2 H 4

Ácido conjugado: H N O 2

Passo 4

-

d) Ácido: H 2 S O 4

Base: H C N

Base conjugada: H S O 4 -

Ácido conjugado: H 2 C N +

Resposta

Exercício Resolvido #3

Unimep. Lista de Exercícios de Introdução à Química Industrial. Questão 19. Modificado.

Dar a base conjugada de cada um dos seguintes ácidos de Bronsted-Lowry: H 3 P O 4 , N H 4 + , H C O 3 - , H S O 4 - , H S - , S i ( O H ) 4 .

MOSTRAR SOLUÇÃO COMPLETA

Passo 1

-

Pra formar a base conjugada, a gente só precisa tirar um H + de cada um dos ácidos:

H 2 P O 4 - , N H 3 , C O 3 - 2 , S O 4 - 2 , S - 2 , S i ( O H ) 3 O -

Resposta

Exercício Resolvido #4

UFJVM – Lista de Química Orgânica. Prof. Rodrigo Moreira Verly. 2013. Questão 03.

Justifique a ordem decrescente de acidez dos seguintes ácidos carboxílicos:

MOSTRAR SOLUÇÃO COMPLETA

Passo 1

Como a gente comentou, um ácido forte é aquele que tem uma base fraca, estável.

Portanto, para explicar a ordem de força dos ácidos acima, vamos estudar a estabilidades das bases conjugadas deles, beleza?

Passo 2

Os ácidos carboxílicos são os ácidos por excelência na química orgânica.

Eles tem em comum aquela estrutura lá de cima, que pode ser escrita como - C O O H .

A acidez desses compostos pode ser explicada pela estabilidade das bases “ - C O O - “, porque essa carga negativa é espalhada por ressonância entre os dois O e o C.

Caso o resto da estrutura “drene”/puxe a carga negativa do grupo - C O O - , causando maior espalhamento dessa carga por toda a molécula, a base é estabilizada e, portanto, o ácido carboxílico é mais forte.

Caso a estrutura forneça ainda mais carga negativa pro grupamento - C O O - , dá ruim né? A carga negativa fica muito concentrada. E quem fala carga concentrada, fala estrutura não muito bem estabilizada. Portanto, como a base não fica estabilizada, a base é forte (tem tendência a capturar H + ) e o seu ácido é fraco (tem tendência a permanecer com o seu H + ).

Passo 3

Vamos analisar as estruturas de ressonância para as bases conjugadas:

O grupo nitro ( - N O 2 ) é um grupo retirador de elétrons. Por isso, por ressonância, deixa a estrutura benzênica com carga positiva. Essa carga positiva no carbono adjacente ao grupo carboxilício “puxa” a carga negativa do grupo, estabilizando a base.

Por outro lado o grupo - O C H 3 é um grupo doador de elétrons. Isso significa que ele doa elétrons para o anel benzênico, desestabilizando a base, que fica louca pra capturar um H + e solucionar esse monte de carga negativa.

O anel benzênico só com o grupo ácido fica no meio do caminho: não tem nenhum grupo extra pra estabilizar ou desestabilizar a carga negativa.

Assim, por meio da estabilidade das bases conjugadas, podemos explicar a ordem de força dos ácidos carboxílicos apresentados.

Resposta

Os ácidos carboxílicos mais fortes são aqueles cujas bases conjugadas são mais estáveis.

Exercício Resolvido #5

UFRJ – Lista de Química Geral. Prof. Jean Eon. Questão 01.

C 6 H 5 O - e C H 3 O - são respectivamente as bases conjugadas do fenol e do metanol. Escreva os equilíbrios de dissociação. Determine as estruturas de Lewis para os dois pares (ácido e base), incluindo formas de ressonância e cargas formais. Sabendo-se que a ressonância, por estabilizar a base, favorece a ionização, deduza qual dos dois ácidos é mais forte.

MOSTRAR SOLUÇÃO COMPLETA

Passo 1

Vamos começar pelo começo: equilíbrio de ionização do fenol e do metanol:

C 6 H 5 O H ⇄   C 6 H 5 O - + H +

C H 3 O H ⇄   C H 3 O - + H +

Passo 2

Definindo as estruturas de Lewis:

Para o fenol:

Então a nossa estrutura tem que ter 36 elétrons. Mas vamos ter que partir do princípio que a gente sabe mais ou menos quem é o fenol: aquele cara onde todos os 6 carbonos estão ligados entre si e tem um - O H pendurado.

Pode contar que tem 36 elétrons!

E as formas de ressonância:

Quando o fenol libera o H + , a carga negativa se espalha por toda a estrutura numa ressonância muito parecida com a daí de cima:

Para o metanol:

Tendo o carbono como o átomo central, ligamos um oxigênio e três hidrogênios a ele, completando a valência. Como ainda sobra um hidrogênio, ele vai ser ligado no oxigênio:

Onde todas as cargas formais são zero e não existe ressonância.

Quando o metanol perde o H + , o oxigênio não tem com quem “dividir” a carga negativa. O carbono está fazendo 4 ligações e não pode receber um par de elétrons do oxigênio por ressonância. A carga não é estabilizada por ressonância e o oxigênio fica lá, super negativo querendo o H + perdido de volta.

Passo 3

Eaí, será que vendo as estuturas ai de cima a gente consegue dar um palpite sobre as forças dos ácidos?

O enunciado já nos dá uma baita dica né?

Ele diz que a ressonância estabiliza e base conjugada e, por isso, faz com qu o ácido seja mais forte.

Assim, a gente pode dizer que o fenol é um ácido mais forte do que o metanol.

Ainda não ficou claro?

Pensa só. Uma molécula libera o próton e a carga negativa não é espalhada por ressonância. Se ela fica concentrada só num átomo, aquele cara fica muito negativo e pega o hidrogênio de volta. Ou seja, o ácido “nem chega a liberar” o hidrogênio (ou libera, mas pega de volta).

Isso é o que acontece no metanol. O oxigênio fica tão negativo que a estrutura é instável, e ele prefere ficar ligado ao hidrogênio.

Agora se a carga negativa é espalhada por toda a estrutura da molécula, é como se nenhum átomo ficasse individualmente muito negativo. Então a “recaptura” do H + é dificultada e ele acaba ficando solto mesmo. Quando a base é estabilizada por ressonância, existe uma tendência maior do ácido a liberar o hidrogênio, o que faz dele um ácido mais forte.

E olha que as duas estruturas que estudamos tem um - O H . Isso já nos faz pensar direto em base né? Mas pela teoria de Bronsted ou de Lewis isso não tem nada a ver! Na química orgânica, muitos desses caras com O H na verdade tem tendência em liberar o H !

Resposta

O fenol é um ácido mais forte.

Exercício Resolvido #6

UFOP – Lista I de Química Orgânica. Profª Flaviane Hilário. Questão 07.

Considere os compostos a seguir:

C H 3 C H 2 N H 2                     C H 3 C H 2 O H                 C H 3 C H 2 C H 3

a) Coloque-os em ordem decrescente de acidez e justifique sua resposta de forma completa.

b) Coloque as bases conjugadas dos ácidos dados acima em ordem crescente de basicidade e justifique sua resposta de forma completa.

MOSTRAR SOLUÇÃO COMPLETA

Passo 1

a) Pra descobrir o ácido mais forte, a gente precisa estudar a estabilidade das bases conjugadas.

Olha elas aí: