Transformada da Convolução

Teoria Completa

Introdução

Já vimos varias tranformadas, mas ainda tem algumas pra gente explorar. Aqui vamos falar de tranformada da convolução.

Respira! Você vai ver que vai ser tranquilo! Primeiro, vamos ver o que é o produto de convolução. A gente representa ele assim:

f * g

Repara que o símbolo do produto é um asterisco porque esse produto é diferente de uma multiplicação comum.

Tá, mas o que é isso?

A convolução é uma integral como abaixo:

f ( t ) * g ( t ) = ∫ 0 t f τ g t - τ d τ

Imagina que temos que calcular o produto quando:

s e n t ⏟ f t * t ⏟ g ( t )

É muito importante que você escreva o produto de convolução com esse símbolo * , para não o confundir com o produto comum!

Para calcular esse produto, usamos essa definição:

∫ 0 t f τ g t - τ d τ

Temos:

f τ = s e n τ

g t - τ = t - τ

Logo:

y = ∫ 0 t s e n τ t - τ d τ

Agora temos que resolver essa integral! Lembre-se de que estamos integrando em relação a τ .

t ∫ 0 t s e n τ d τ - ∫ 0 t τ s e n τ d τ

- t cos ⁡ τ τ = o τ = t - ∫ 0 t τ s e n τ d τ

- t cos ⁡ t + t - ∫ 0 t τ s e n τ d τ

A outra parte teremos que integrar por partes. Vamos definir o seguinte:

u = τ                     u ' = 1

v ' = s e n τ                         v = - cos ⁡ τ

Assim, temos:

- t cos ⁡ t + t - - τ cos ⁡ τ τ = 0 τ = t + ∫ 0 t cos ⁡ τ d τ

= - t cos ⁡ t + t + t cos ⁡ t - 0 - s e n τ τ = 0 τ = t

sen ⁡ t * t = t - sen ⁡ t

Assim que resolvemos o produto da convolução.

E como calcula a transformada disso?

Mais uma pra gente colocar lá na tabela:

L f t * g t = L f t   .   L { g t }

Só? Isso mesmo, basta calcular a tranfomada das duas funções e fazer o produto.

Por exemplo:

L sen ⁡ t * t = L sen ⁡ t ⋅ L t

Temos que:

L sen ⁡ t = 1 s 2 + 1

E:

L t = 1 s 2

Então:

L sen ⁡ t * t = L sen ⁡ t ⋅ L t = 1 s 2 + 1 ⋅ 1 s 2 = 1 s 2 ( s 2 + 1 )

Simples né? Para te ajudar nos exercícios, é bom saber também algumas propriedades do produto da convolução.

Propriedades da convolução

De cara já te adiantamos que:

  • f * g = g * f (comutativa, a ordem dos fatores não altera o produto de convolução);
  • f * g 1 + g 2 = f * g 1 + f * g 2 (distributiva);
  • f * g * h = f * g * h (associativa);
  • f * 0 = 0
  • f * δ = f

Essa última é a única não muito intuitiva. O elemento neutro do produto de convolução não é o número 1 , como no produto comum. Ou seja:

f * 1 ≠ f

O “elemento unitário” do produto de convolução é a delta de Dirac δ ( t ) .

Só isso mesmo, partiu exercícios!

Expandir

Exercício Resolvido #1

UNICAMP - Cálculo 3 - Exame 2013 - 2ª

Calcule a convolução de f t = 2 t e g t = s e n   t .

MOSTRAR SOLUÇÃO COMPLETA

Passo 1

Para calcular essa convolução, usamos a definição:

∫ 0 t 2 t - τ sen ⁡ τ d τ

Ué, não seria:

∫ 0 t 2 τ sen ⁡ t - τ d τ

Tanto faz, jovem, escolhemos a que for mais conveniente. Vamos pegar a primeira mesmo.

Passo 2

∫ 0 t 2 t - τ sen ⁡ τ d τ = ∫ 0 t 2 t sen ⁡ τ d τ - ∫ 0 t 2 τ sen ⁡ τ d τ

Vamos trabalhar cada integral separadamente

Passo 3

Dá uma olhada que aqui estamos integrando em relação a τ , então t é uma constante e sai da integral assim como o 2:

∫ 0 t 2 t sen ⁡ τ d τ = 2 t ∫ 0 t sen ⁡ τ d τ = - 2 t cos ⁡ τ 0 t = - 2 t cos ⁡ t + 2 t  

Passo 4

Para a segunda integral, usamos a integração por partes com:

u = 2 τ v = - cos ⁡ ( τ ) d u = 2 d τ d v = sen ⁡ τ d τ

Assim:

∫ 0 t 2 τ sen ⁡ τ d τ = u v 0 t - ∫ 0 t v d u = - 2 τ cos ⁡ τ | 0 t + 2 ∫ 0 t cos ⁡ τ d τ =

- 2 τ cos ⁡ τ + 2 s e n τ 0 t = - 2 t cos ⁡ t + 2 s e n t

Juntando as integrais, chegamos ao resultado final. Fique atento ao sinal:

f t * g t = - 2 t cos ⁡ t + 2 t + 2 t cos ⁡ t - 2 sen ⁡ t

f t * g t = 2 t - 2 s e n t

Resposta

f t * g t = 2 t - 2 s e n t

Exercício Resolvido #2

Dennis Zill, Equações diferenciais volume I, 11ª ed. São Paulo: Pearson Education do Brasil Ltda., 2007, pp. 362-11.

Encontre a transformada de Laplace da função a seguir sem resolver a integral:

L ∫ 0 t τ e t - τ d τ ( s )

MOSTRAR SOLUÇÃO COMPLETA

Passo 1

Olhando a integral dá para perceber que se trata da convolução de:

t * e t

Uma vez que:

t * e t = ∫ 0 t τ e t - τ d τ

Passo 2

O problema pede a transformada dessa convolução, mas não precisamos integrar nada, pois, pelo teorema da convolução:

L f t * g t = L { f ( t ) } ⋅ L { g ( t ) }

Ou seja:

L ∫ 0 t τ e t - τ d τ = L t * e t = L { t } ⋅ L { e t }

Essas são transformadas fundamentais que já estudamos:

L t = 1 s 2

L e t = 1 s - 1

Então:

L ∫ 0 t τ e t - τ d τ = 1 s 2 ( s - 1 )

Resposta

L ∫ 0 t τ e t - τ d τ = 1 s 2 ( s - 1 )

Exercício Resolvido #3

Calcule a transformada de Laplace F s = L { f ( t ) } .

f t = ∫ 0 t cos ⁡ τ t - τ d τ

MOSTRAR SOLUÇÃO COMPLETA

Passo 1

Dá uma olhada nessa integral, repare que:

∫ 0 t cos ⁡ τ f t - τ d τ = cos ⁡ ( t ) * f ( t )

Reconheceu o integral de convolução? Certo, agora como fazemos ela desaparecer?

Vamos chamar esse produto de y :

f = cos ⁡ ( t ) * t

Se y é igual ao produto de convolução, então, sabemos que:

L y s = L cos ⁡ t s . L t ( s )

L y s = s s 2 + 1 . 1 s 2 ( s )

O processo inverso ao que fizemos nos outros exercícios.

Bom, disso, concluímos que:

L ∫ 0 t cos ⁡ τ f t - τ d τ s = F s = 1 s ( s 2 + 1 )

Simples, né? Essa já é a resposta!

Resposta

F s = 1 s ( s 2 + 1 )

Esse conteúdo é exclusivo para cadastrados.

Cadastre-se grátis no maior portal de exatas do Brasil!

Relaxa, não vamos publicar nada no seu nome.

  • Resumões direto ao ponto
    Resumões
    direto ao ponto
  • Exercícios resolvidos passo a passo
    Exercícios resolvidos
    passo a passo
  • Videoaulas incríveis
    Videoaulas
    incríveis
  • Aulões Salva-Vidas
    Aulões
    Salva-Vidas