Lista de Exercícios Resolvidos de Introdução a Lei de Faraday

Ver Teoria

Em uma certa região, temos um campo magnético B → uniforme. Qual é o módulo do seu fluxo através da superfície sombreada, constituída pela superfície lateral de um cilindro circular inclinado e uma de suas bases, perpendicular ao campo?

  1. B π R 2
  2. B 2 π R L cos ⁡ θ + π R 2
  3. B 2 π R L sen ⁡ θ + π R 2
  4. 0
  5. π R 2 B →

Ver solução completa

Seja uma superfície esférica S dividida em duas semiesferas S 1 e S 2 por uma espira circular condutora ôhmica C .

Sabendo-se a esfera está numa região onde há um campo magnético B → , que a espira tem uma resistência finita e desprezando qualquer efeito auto indutivo ou capacitivo, podemos afirmar que

a o fluxo de B → através de S 1 é nulo.

b o fluxo de B → através de S 1 é proporcional à corrente induzida na espira C .

c a circulação de B → em torno de C é proporcional à corrente através de S .

d a taxa de variação temporal do fluxo de B → através de S 1 é proporcional à corrente induzida na espira C .

e a taxa de variação temporal do fluxo de B → através de S 1 é nula.

Ver solução completa

Uma espira circular de área A é atravessada por um campo magnético uniforme que oscila periodicamente no tempo. As dependências temporais dos campos I (curva cheia) e I I (curva pontilhada) estão ilustradas nas figuras abaixo.

A f e m máxima e o fluxo máximo de campo magnético se dão, respectivamente, nas situações

a I e I I .

b I I e I .

c I e I .

d I I e I I .

e Para determinarmos a f e m máxima e o fluxo máximo precisaríamos conhecer a resistência oferecida pelas espiras.

Ver solução completa

Considere dois anéis circulares em repouso: um condutor (1) e outro isolante (2). Ambos estão sujeitos a campos magnéticos não estacionários orientados para dentro do plano dos anéis. Quanto ao campo elétrico induzido E → e à corrente elétrica induzida I, nos anéis, podemos afirmar que:

(a) E → [1] = 0 → , I[1] = 0; E → [2] = 0 → , I[2] = 0 .

(b) E → [1] ≠ 0 → , I[1] 0; E → [2] = 0 → , I[2] = 0 .

(c) E → [1] 0 → , I[1] 0; E → [2] ≠ 0 → , I[2] = 0 .

(d) E → [1] 0 → ,   I[1] 0; E → [2] ≠ 0 → , I[2] ≠   0 .

(e) E → [1] = 0 → , I[1] 0; E → [2] = 0 → , I[2] = 0 .

Ver solução completa

Uma espira circular condutora em repouso está em uma região onde existe um campo magnético uniforme, dependente do tempo B   =   B ( t ) z ^ , cuja direção coincide com a do eixo perpendicular ao plano da espira. A função B ( t ) é dada pela figura. Marque a opção que melhor representa a força eletromotriz induzida na espira.

Ver solução completa

Numa região do espaço existe um campo magnético tal que B é um vetor constante no espaço, porém variável no tempo. Coloca-se neste campo uma espira contida num plano que forma um ângulo θ com o vetor B . A área da espira é A , sendo que o valor de A pode variar com o tempo. Suponha que a espira esteja girando no campo, de modo que o ângulo θ possa variar com o tempo. Encontre uma expressão da força eletromotriz induzida na espira.

Ver solução completa

Considere três anéis circulares muito finos: (I) um condutor; (II) um isolante, e (III) um com metade condutora e metade isolante. Eles são colocados, em repouso, separadamente, numa região de campo magnético não estacionário, uniforme, perpendicular ao plano do anel. Em que casos surge uma força eletromotriz ao longo do anel?

  1. I
  2. II
  3. III
  4. I e II
  5. I e III
  6. II e III
  7. I, II e III
  8. Nenhum deles

Ver solução completa

Considere dois anéis circulares, um condutor e outro isolante, pertencentes a um mesmo plano, sujeitos a um campo magnético variável no tempo, perpendicular ao plano dos anéis.

Estando os dois anéis em repouso, em qual deles surgirá uma força eletromotriz induzida? Em qual deles surgirá uma corrente induzida?

a Em nenhum dos anéis. Em nenhum dos anéis.

b Em nenhum dos anéis. Somente no anel condutor.

c Somente no anel condutor. Somente no anel condutor.

d Em ambos os anéis. Somente no anel condutor.

e Em ambos os anéis. Em ambos os anéis.

Ver solução completa