Exercícios Resolvidos de Superfície Aberta

PUCRIO, Cálculo 3 - MAT1163, G4 - 2014.2, Questão 3ab1

Seja F x , y , z = cos ( z ) + x y 2 i + x e - z   j + s e n y + x 2 z k .

  1. Calcule × F .
  2. Seja I = S   ( × F ) . d S , onde S é a superfície do paraboloide z = x 2 + y 2 limitado pelo plano z = 4 , com vetores normais apontando para fora. Mostre que I = - 4 π e 4 , usando:

b1) o Teorema de Gauss.

Passo 1

Letra a)

Vamos começar calculando esse rotacional ai

r o t F = ×   F = i j k x y z F 1 F 2 F 3

r o t F = F 3 y - F 2 z ,   F 1 z - F 3 x ,   F 2 x - F 1 y

r o t F = cos y + x e - z , - s e n   z - 2 x z , e - z - 2 x y

MOSTRAR SOLUÇÃO COMPLETA

Passo 2

Letra b)

Agora, precisamos mostrar que:

I = S   r o t F . d S = - 4 π e 4

Onde S é o paraboloide z = x 2 + y 2 cortado pelo plano z = 4 .

Passo 3

Letra b1)

Aplicando o Teorema de Gauss, podemos trocar uma integral em uma superfície fechada por uma integral tripla no volume limitado por essa superfície.

Porém, S não é fechada. A superfície do problema é o paraboloide cortado, que é aberto!

Logo, precisamos fechar essa superfície antes de aplicar o teorema.Vamos fechar com o próprio disco plano que corta o paraboloide, para simplificar as coisas.

Então, sendo as superfícies orientadas positivamente (normais apontam para fora), temos:

S   G . d s + D   G . d s = w   d i v G   d V

Sendo G = r o t F :

S   r o t F . d s + D   r o t F . d s = w   d i v r o t F   d V

Onde S é o paraboloide cortado, D é o disco plano que “fecha” a superfície e W é o volume limitado por S e D . Foi?

Passo 4

Agora vamos calcular esse divergente aí:

r o t F = cos y + x e - z , - s e n   z - 2 x z , e - z - 2 x y

d i v r o t F = ( cos y + x e - z ) x +   ( - s e n   z - 2 x z ) y + ( e - z - 2 x y ) z

d i v r o t F = e - z - e - z = 0

O que nos dá:

S   r o t F . d s + D   r o t F . d s = 0

S   r o t F . d s = - D   r o t F . d s

Precisamos, então, da integral em D .

Passo 5

Para encontrar a equação desse disco D , vamos fazer z = 4 na equação do paraboloide:

z = x 2 + y 2 = 4

Portanto, se trata de um círculo de raio 2 em z = 4 . Vamos, então, usar coordenadas polares, ok?

φ r , θ = r cos θ , r   s e n   θ , 4

Onde 0 r 2 e 0 θ 2 π .

Agora, vamos achar a normal a essa superfície:

φ r = cos θ , s e n   θ , 0

φ θ = - r   s e n   θ ,   r cos θ , 0

φ r × φ θ = i j k cos θ s e n   θ 0 - r   s e n   θ r cos θ 0 = 0,0 , r

Como a normal aponta para fora de W e, para o disco, isso significa z > 0 , sabemos que encontramos o vetor certo.

Passo 6

Agora vamos trazer tudo o que achamos para a fórmula:

D   r o t F . d S = R   r o t F ( φ ) . φ r × φ θ d r d θ

Onde:

φ r , θ = r cos θ , r   s e n   θ , 4

r o t F = cos y + x e - z , - s e n   z - 2 x z , e - z - 2 x y

r o t F ( φ ) = ? , ? , e - 4 - 2 r 2 cos θ s e n   θ

Nem escrevemos as duas primeiras componentes do rotacional porque elas vão cancelar quando for feito o produto escalar com a normal!

D   r o t F . d S = 0 2 π 0 2 ? , ? , e - 4 - 2 r 2 cos θ s e n   θ . ( 0,0 , r ) d r d θ

Resolvendo isso aí:

= 0 2 π 0 2 r e - 4 - 2 r 3 cos θ ,   s e n   θ d r d θ =

= 0 2 π r 2 2 e - 4 - r 4 2 cos θ s e n   θ 0 2 d θ =

= 0 2 π 2 e - 4 - 8 cos θ s e n   θ d θ =

= 2 θ e - 4 - 8 s e n 2 θ 0 2 π =

= 4 π e 4

Passo 7

Calma que ainda não acabou! Lembra que

S   r o t F . d s = - D   r o t F . d s = - 4 π e 4

Agora sim!

Esse conteúdo é exclusivo para cadastrados.

Cadastre-se grátis no maior portal de exatas do Brasil!

Relaxa, não vamos publicar nada no seu nome.

  • Resumões direto ao ponto
    Resumões
    direto ao ponto
  • Exercícios resolvidos passo a passo
    Exercícios resolvidos
    passo a passo
  • Videoaulas incríveis
    Videoaulas
    incríveis
  • Aulões Salva-Vidas
    Aulões
    Salva-Vidas