Lista de Exercícios Resolvidos de Energia Cinética + Energia Gravitacional + Energia Elástica

Ver Teoria

Um pêndulo está suspenso do teto e preso a uma mola que, por sua vez, está presa ao chão em um ponto diretamente abaixo do suporte do pêndulo. A massa da bolinha do pêndulo é m , o comprimento do pêndulo é L e a constante da força é k . O comprimento da mola frouxa é L 2 e a distância entre o chão e o teto é 1,5 L . O pêndulo é puxado lateralmente, de modo a formar um ângulo θ com a vertical e é então liberado do repouso. Obtenha uma expressão para a rapidez da bolinha, quando ela passa pelo ponto diretamente abaixo do suporte do pêndulo.

Ver solução completa

Um pequeno bloco de massa m está sobre uma superfície horizontal sem atrito ligado a uma mola de constande elástica k cuja outra extremidade é fixa em uma parede, como mostra a figura. O bloco é deslocado para x = A , a partir da posição de equilíbrio, x e q = 0 e liberado a partir do repouso. Para qualquer instante posterior, o módulo da sua velocicade é dado por:

  1. v = k m A 2 - x 2
  2. v = k m A 2 + x 2
  3. v = 2 k m A 2 + x 2
  4. v = k m   x
  5. v = k m   A

Ver solução completa

O objeto de 3,00 k g é largado do repouso de uma altura de 5,00 m em uma rampa curva sem atrito. Na base da rampa está uma mola com constante de força de 400   N / m . O objeto desliza rampa abaixo e até a mola, comprimindo-a de uma distância até atingir momentaneamente o repouso.

  1. Encontre x .
  2. Descreva o movimento do objeto (se ocorrer) após o repouso momentâneo.

Ver solução completa

Um bloco de 2,00   kg é empurrado contra uma mola de massa desprezível e constante k = 400   N/m , comprimindo a mola até uma distancia igual a 0,220   m . Quando o bloco é libertado, ele se move ao longo de uma superfície horizontal sem atrito e sobre um plano inclinado de 37,0 ° . a) Qual a velocidade do bloco enquanto ele desliza ao longo da superfície horizontal depois de abandonar a mola? b) Qual a distancia máxima que ele atinge ao subir o plano inclinado até parar antes de voltar para a base do plano?

Ver solução completa

Um anel de peso 30   N está preso a uma mola e desliza sem atrito num fio circular situado num plano vertical, conforme a figura.

Considerando que a mola não se deforma quando o anel se encontra na posição P e que a velocidade do anel seja a mesma nas posições P e Q , a constante elástica da mola deve ser de:

  1. 3,0   x   10 3 N / m  
  2. 7,5   x   10 3   N / m
  3. 3,0   x   10 4   N / m
  4. 4,5   x   10 3   N / m
  5. 1,2   x   10 4   N / m

Ver solução completa

Dois blocos estão ligados por um fio leve que passa por uma roldana de massa desprezível e sem atrito. O bloco de massa m 1 está sobre uma superfície lisa sem atrito, preso a uma mola de constante elástica k = 0,4   N / m , que por sua vez se prende ao bloco de massa m 2 = 0,1   k g . O sistema é solto, a partir do repouso, com a mola sem qualquer deformação.

a) Faça na figura acima um diagrama das forças atuando nos blocos em algum momento após o sistema ser solto.

b) Através do teorema de trabalho-energia, calcule quanto o sistema se desloca até ficar momentaneamente em repouso novamente.

c) Calcule a velocidade do bloco 2 quando este se deslocou 1,0   m a partir do ponto inicial, quando os blocos estão em repouso.

Ver solução completa

Um bloco encontra-se em equilíbrio suspenso por uma mola de constante elástica k , presa ao teto com alongamento d . O bloco é levantado até a posição em que o alongamento é nulo e abandonado a partir do respouso. Ao descer uma altura d / 2 o bloco ganha uma energia cinética,

  1. 1 / 2 k d 2
  2. 1 / 4 k d 2
  3. 3 / 4 k d 2
  4. 3 / 8 k d 2
  5. 2 k d 2

Ver solução completa

Um pequeno bloco de massa m está sobre uma superfície horizontal sem atrito ligado a uma mola de constande elástica k cuja outra extremidade é fixa em uma parede, como mostra a figura. O bloco é deslocado para x = A , a partir da posição de equilíbrio, x e q = 0 e liberado a partir do repouso. Para qualquer instante posterior, o módulo da sua velocicade é dado por:

  1. v = k m ( A 2 - x 2 )
  2. v = k 2 m ( A 2 - x 2 )
  3. v = 2 k m ( A 2 - x 2 )
  4. v = k / m x
  5. v = k / m A

Ver solução completa

Um bloco de massa m está localizado no final de uma mola de constante elástica k comprimida de x . Após um certo instante, esta mola é solta e dispara o bloco, fazendo com que ele adquira velocidade e suba uma pequena rampa de altura h . Ao final desta rampa, o bloco encontra um piso cujo o coeficiente de atrito entre o bloco e o piso vale μ k . Todas as superfícies antes de atingir o piso do final da rampa possuem coeficiente de atrito desprezível. Dado: use g para a gravidade.

a) Em função de m , k e x determine a velocidade adquirida do bloco logo após se soltar da mola.

Ver solução completa

Um bloco de massa m está localizado no final de uma mola de constante elástica k comprimida de x . Após um certo instante, esta mola é solta e dispara o bloco, fazendo com que ele adquira velocidade e suba uma pequena rampa de altura h . Ao final desta rampa, o bloco encontra um piso cujo o coeficiente de atrito entre o bloco e o piso vale μ k . Todas as superfícies antes de atingir o piso do final da rampa possuem coeficiente de atrito desprezível. Dado: use g para a gravidade.

b) Em função de m , k , x e h determine a velocidade do bloco no final da rampa antes de atingir o trecho com atrito.

Ver solução completa

Um objeto de massa m , que parte do repouso, desliza sobre um plano inclinado e posteriormente percorre uma pista circular vertical de raio R , conforme ilustrado na figura abaixo. Durante todo o movimento, o atrito sobre o objeto é desprezível. Qual o menor valor possível para y (ver figura abaixo) para que o objeto percorra a trajetória circular sem nunca perder contato com a pista?

(A) R / 4

(B) R / 2

(C) R

(D) 2 R

(E) zero

Ver solução completa

Um objeto é largado de uma altura H . Se a resistência do ar puder ser desprezada, qual dos gráficos abaixo descreve corretamente a energia mecânica deste objeto como função de sua altura, y ?

(A) I

(B) II

(C) III

(D) IV

(E) V

Ver solução completa

Dois blocos de massas M   =   2,0   k g e 2 M estão presos a uma mola de constante elástica 200 N / m que tem uma das extremidades fixa, como mostra a figura. Não há atrito entre o bloco e a superfície horizontal nem no eixo da polia, cuja massa é desprezível. Os blocos são liberados a partir do repouso com a mola relaxada. Qual é a energia cinética do bloco que está pendurado depois de ter descido 9,0   c m ?

(A) 0,45 J

(B) 0,90 J

(C) 1,8 J

(D) 2,7 J

(E) 3,6 J

Ver solução completa

Uma pessoa de massa m = 80 k g   salta de uma plataforma amarrada pelos pés a um elástico de tamanho 15 m e constante elástica k   =   80   N / m , preso à plataforma. Calcule qual o tamanho máximo atingido pelo elástico.

  1. 25 m .
  2. 50 m .
  3. 35 m .
  4. 60 m .
  5. 45 m .

Ver solução completa

Dois blocos estão ligados por um fio leve que passa por uma roldana de massa desprezível e sem atrito. O bloco de massa m 1 está sobre uma superfície lisa sem atrito, preso a uma mola de constante elástica k = 0,4   N / m , que por sua vez se prende ao bloco de massa m 2 = 0,1   k g . O sistema é solto, a partir do repouso, com a mola sem qualquer deformação.

a) Faça na figura acima um diagrama das forças atuando nos blocos em algum momento após o sistema ser solto.

b) Através do teorema de trabalho-energia, calcule quanto o sistema se desloca até ficar momentaneamente em repouso novamente.

c) Calcule a velocidade do bloco 2 quando este se deslocou 1,0   m a partir do ponto inicial, quando os blocos estão em repouso.

Ver solução completa

Uma pedra de massa m e amarrada a um barbante de comprimento r é posta para girar em um plano perpendicular ao solo. Em um dado instante ela é solta de forma que, após passar por uma altura máxima, ela vem a atingir uma parede que se encontra a uma distância d do ponto de lançamento. A velocidade da pedra no momento do lançamento tem módulo v 0 e faz um ângulo θ 0 com a horizontal. Nestas condições, determine (Todas as respostas devem ser dadas em termos de m , θ 0 , r , g , d e v 0 ):

(a) A altura h do ponto de impacto da pedra na parede em relação ao ponto de lançamento

(b) a expressão para o vetor velocidade v → f da pedra no momento imediatamente antes dela atingir a parede, em termos dos vetores unitários i ^ e j ^ indicados na figura

(c) A energia cinética K da pedra no instante em que ela passa pelo ponto mais alto de sua trajetória

(d) o módulo T da tensão no barbante no momento imediatamente anterior ao lançamento

Ver solução completa

Um bloco de massa m está se movendo inicalmente para direita, sobre uma superfície horizontal sem atrito, com velocidade v . Ele então comprime uma mola de constante elástica k . No instante em que a energia cinética do bloco é igual à energia potencial da mola, a compressão da mola é:

a) 1 / 4 m v / k

b) m v 2 / 4 k

c) v m / ( 2 k )

d) m v 2 / 2

e) m v 2 / 4

Ver solução completa

Uma criança desce o escorrega de um parque de diversões com velocidade de módulo constante. A transformação de energia envolvida é

(A) U → K

(B) K → U

(C) U → E t e r m

(D) K → E t e r m

(E) Não existe transformação alguma pois a energia do sistema é conservada

Ver solução completa

Uma partícula de massa m é arremessada verticalmente com velocidade inicial v 0 para cima. Quando a altura dela é 1 / 3 da altura máxima atingida, o módulo de sua velocidade v será

(a) v 0 / 3

(b) 2 v 0 / 3

(c) v 0 / 2

(d) 2 / 3 v 0

(e) 3 / 4 v 0

Ver solução completa

Um bloco de massa m está se movendo inicialmente para a direita, sobre uma superfície horizontal sem atrito, com velocidade v . Ele então comprime uma mola de constante elástica k . Durante a compressão, qual o comprimento da mola para que sua energia potencial seja igual a energia cinética do bloco?

a) v m / ( 2 k )

b) m v 2 / ( 4 k )

c) ( 1 / 2 )   m v 2        

d) 1 / 4 m v / k

e) ( 1 / 4 ) m v 2

Ver solução completa

Uma bola de ping-pong pesa 2,5 x 10 - 2 N. A bola é colocada dentro de uma taça fixada a uma mola vertical. Quando a mola está comprimida de 5,5 x 10 - 2 m, a bola é solta. A altura máxima que a bola atinge, a partir da posição de compressão da mola, é igual a 2,8 m. Desprezando a resistência do ar, determine a constante elástica da mola.

(A) 46 N/m

(B) 24 N/m

(C) 92 N/m

(D) 52 N/m

(E) 56 N/m

Ver solução completa

PARTE I

Um bloco de massa m = 12,0   k g desliza por uma rampa sem atrito com inclinação θ = 30,0 ° e comprimento total de L = 40,5   c m iniciando o movimento a partir do repouso. Ao longo da rampa existe uma mola de constante elástica k = 13500   N / m que se encontra a uma distância D = 0,350   m abaixo do bloco. O bloco atinge o repouso ao comprimir a mola de uma distância x = 5,50   c m . Considere g = 10   m / s 2 .

(a ) Escreva a equação literal para a conservação da energia mecânica para as posições inicial e final do movimento em função dos dados do problema.

(b ) Determine a compressão da mola quando a aceleração do sistema for zero.

(c ) Obtenha o módulo da velocidade máxima que o bloco alcança durante a descida.

PARTE II:

Em um salto de pára-quedas o atleta abandona o avião com velocidade vertical v y i = 0 . Considerando a resistência do ar, sua velocidade horizontal inicial se torna nula imediatamente ao abandonar a aeronave e pode ser desprezada nos cálculos, deste modo podemos considerar uma trajetória de queda estritamente vertical. O saltador chega ao chão com velocidade v y f → =   - 5,0   m / s   j ^ .

Calcule a energia total dissipada pela resistência do ar no conjunto saltador + pára-quedas. Dados: g = 1000   c m / s 2 ; massa total do saltador + pára-quedas igual à M T = 90   k g ; altura inicial do avião h i = 2,1   k m . Use o referencial indicado com y = 0 no solo.

Ver solução completa

Um famoso experimento proposto por Galileu consiste em dois objetos de massas diferentes (uma pena e um martelo, por exemplo) largados simultaneamente a partir do repouso desde uma altura h em relação ao solo. Considere que este experimento seja realizado em uma grande câmara de vácuo em um laboratório na superfície da Terra, e sejam m 1 e m 2 as massas dos dois objetos, onde m 1 < m 2 . Analise as seguintes afirmações a respeito deste experimento:

I) À medida que cada objeto descreve o movimento de queda livre, sua energia cinética aumenta de quantidades iguais durante distâncias percorridas iguais.

II) O trabalho realizado pela força gravitacional durante a queda livre é menor sobre o objeto de massa m 1 .

III) Ao tocar o solo, ambos os objetos possuem a mesma energia cinética.

IV) Ao tocar o solo, a energia cinética do objeto de massa m 2 vale K 2 = m 2 g h .

São CORRETAS as afirmações:

(A) I, II e IV

(B) I, III e IV

(C) III e IV

(D) I, II e III

(E) I, II, III e IV

Ver solução completa

Um bloco é abandonado do repouso e cai sobre uma mola ideal. Considere o movimento entre o instante em que o bloco é abandonado e aquele em que a mola atinge seu ponto de compressão máxima, antes de o bloco ser arremessado de volta para cima. Sobre as variações das energias cinética ∆ K , potencial gravitacional ∆ U g e potencial elástica da mola ∆ U e l é correto afirmar que:

  1. ∆ U e l =   ∆ K
  2. ∆ U g = ∆ U e l
  3. ∆ U g = -   ∆ K
  4. ∆ U e l =   - ∆ K
  5. ∆ U g = - ∆ U e l
  6. ∆ U g = ∆ K

Ver solução completa

Considere o gráfico da energia potencial U ( x ) associada à única força que atua sobre a partícula, em função da posição x no movimento unidimensional de uma partícula de massa m .

Considere também que a partícula possui energia mecânica E indicada no gráfico. Qual a única correta das afirmativas abaixo:

  1. Por ser x e um ponto de equilíbiro, a velocidade da partícula nesse ponto é nula.
  2. Se em um dado instante a partícula estiver em uma posição x   >   x 3 , ela nunca atingirá a posição x e .
  3. Se a partícula está na posição x 1 , a força sobre ela será nula.
  4. Se a partícula está na posição x 2 , a força sobre ela aponta no sentido positivo do eixo x .
  5. Se em um dado instante a partícula estiver em uma posição x 2 , ela nunca atingirá a posição x e .

Ver solução completa

Um bloco de massa m inicialmente em repouso desliza para baixo em um plano inclinado que faz um ângulo θ com a horizontal. Depois de ter deslizado uma distância d , o bloco colide com uma mola de constante elástica desconhecida. A mola reduz a velocidade do bloco até fazê-lo parar momentaneamente. Neste instante a mola está comprimida de uma distância x . Não existe atrito entre o plano e o bloco até o contato com a mola (deslocamento d ). Mas existe atrito entre plano e o bloco na região da mola (deslocamento x ) com coeficiente de atrito cinético μ . Use g para a aceleração da gravidade. Responda em função dos dados fornecidos utilizando a Lei de Conservação de Energia.

(a) Determine a energia cinética que o bloco possui na iminência de colidir com a mola, em função das variáveis.

Ver solução completa

Dois blocos de massas M e 2 M estão ligados por um fio inextensível e sem massa que passa por uma polia de massa desprezível. As molas têm a mesma constante elástica k . Não há atrito no eixo da polia nem entre o bloco de massa M e a superfície horizontal. Se os blocos são liberados a partir do repouso com ambas as molas relaxadas, qual é a distância que o bloco que está sobre a superfície horizontal percorre até parar pela primeira vez?

(A) d = M g k

(B) d = 2 M g k

(C) d = 4 M g k

(D) d = M g k

(E) d = 4 M g k

Ver solução completa

O gráfico abaixo mostra a energia potencial U x em joules associada à força conservativa F x que age sobre um corpo de massa 5,0   k g . Quando o corpo está em x = 5,0   m sua velocidade é - 2,0   m / s . Quando o corpo passa pela posição x = 3,0   m é correto afirmar que sua energia cinética é:

(A) K = 2,0   J

(B) K = 3,0   J

(C) K = 4,0   J

(D) K = 5,0   J

(E) K = 10   J

Ver solução completa

Um bloco está em movimento sobre um trilho horizontal sem atrito quando encontra o trilho circular vertical, também sem atrito, mostrado na figura. O bloco passa pelos pontos 1 ,   2 ,   3 ,   4 ,   1 antes de retornar ao trilho horizontal. No ponto 3 :

(a) a energia mecânica do bloco é máxima

(b) a força resultante sobre o bloco é zero

(c) a aceleração do bloco é zero

(d) a rapidez do bloco é mínima

(e) a força resultante sobre o bloco aponta para cima

Ver solução completa

[ENUNCIADO COMUM ÀS QUESTÕES 3 E 4]

Um bloco de massa m = 5   k g é colocado sobre uma mola, de massa desprezível e constante elástica k = 5000   N / m , que possui a outra extremidade fixa em uma superfície horizontal. Na figura (A), a mola está comprimida de ∆ x 0 em relação a sua posição não deformada. A figura (B) mostra o sistema depois de ter sido liberado, com o bloco atingindo uma altura máxima H em relação à sua posição inicial [na figura (A)]. Considere g = 10   m / s 2

[QUESTÕES 4]

Suponha agora que ∆ x 0 = 0 , 1   m . Qual é a altura máxima H atingida pelo bloco?

(a) 0,01   m

(b) 0,05   m

(c) 0,07   m

(d) 0,1   m

(e) 0,2   m

(f) 0,5   m

(g) 0,7   m

(h) 0,8   m

(i) 1,0   m

Ver solução completa

Considere um sistema de lançamento constituído por um plano inclinado de comprimento D   =   1,00   m , inclinado de θ = 30 ° e uma mola de constante elástica k = 10   N / m . Uma das extremidades da mola está presa a um anteparo na base do plano. Na outra extremidade da mola apoiamos um bloco de massa m = 10,0   g a ser lançado. A mola tem massa desprezível e quando relaxada tem comprimento L i = 50,0   c m . Para lançar o bloco, a mola é comprimida até L f   =   10,0   c m a partir da posição de equilíbrio e então o bloco é solto. Ele sobe plano acima até sair do plano fazendo uma trajetória parabólica. Existe atrito entre o plano e o bloco com μ C = 0,449 . Resolva o problema utilizando somente considerações de energia.

a) Determine a energia potencial elástica armazenada na mola antes do lançamento do bloco.

b) Determine a variação da energia potencial gravitacional do bloco durante a compressão da mola.

c) Suponha que quando a mola empurra o bloco plano acima, ele perde contato com a mola quando ela fica relaxada. Determine o módulo da velocidade do bloco imediatamente após ele ter perdido contato com a mola.

d) Determine a altura máxima que o bloco alcança, em relação à base do plano, depois dele ser lançado do plano inclinado numa trajetória parabólica. A velocidade do bloco na iminência de sair do plano é v → = ( 10,4   i → + 6,00   j →   ) m / s .

Ver solução completa

Uma bola de 2   k g a uma velocidade de 5   m / s atinge uma mola de constante elástica igual a k que sofre uma compressão de 20   c m . Calcule a constante elástica da mola. (Considere g = 10   m / s 2 )

(a) 1 250   N / m

(b) 2 500   N / m

(c) 625   N / m

(d) 313   N / m

(e) 2 500   N / m

Ver solução completa

Um carrinho de massa 10   k g se encontra preso através de um fio e comprimindo uma mola, conforme indica a figura. Estudos prévios indicam que se o fio se romper, o carrinho é lançado com uma velocidade de 2   m / s . Neste caso, podemos afirmar que a energia potencial elástica armazenada na mola vale:

(a) 40   J

(b) 20   J

(c) 50   J

(d) 60   J

(e) 100   J

Ver solução completa

A energia potencial de uma partícula de 0,20 kg movendo-se ao longo do eixo x é dada por   U x = 8 x 2 + 2 x 4 , onde x é expresso em m e U(x) em J. Quando a partícula está em x = 1,0 m ela está viajando na direção x positiva e com rapidez de 5,0 m/s. Em seguida ela irá parar momentaneamente para inverter seu movimento. Qual é está posição x ?

a) -2,3m

b) 2,3m

c) -1,1m

d) 1,1m

e) 0

Ver solução completa

Uma balança é formada por um prato de massa desprezível pendurado em uma mola ideal que se distende de 1,0   c m quando um corpo de massa 0,50   k g é pesado nesta balança. Uma bola de 0,50   k g de massa fresca de pão, guardada numa prateleira 1,0   m acima do prato da balança, escorrega da prateleira e cai sobre ele.

a ) Calcule a constante elástica da mola.

b ) Calcule a energia cinética da bola de massa fresca de pão ao atingir o prato da balança.

c ) Qual a distensão máxima na mola após o prato da balança ser atingido pela bola?

Ver solução completa

Um bloco de massa 3,0   k g é pendurado em uma mola, fazendo com que o seu ponto de equilíbrio se desloque 12 centímetros, como mostrado na Figura. O bloco de 3,0   k g é então substituído por um bloco de 4,0   k g , e o novo bloco é solto partir da posição representada, na qual a mola não está esticada nem comprimida (ponto de equilíbrio). Até aonde o bloco de 4,0   k g vai cair antes que se inverta o sentido do movimento?

a) 9   c m

b) 18   c m

c) 24   c m

d) 32   c m

e) 48   c m

Ver solução completa

Uma mola ideal sem massa tem uma de suas extremidades fixada à parede, como mostra a Figura. Umbloco de massa M é ligado à outra extremidade da mola e está livre para oscilar com uma amplitude A sobre uma superfície horizontal sem atrito. A velocidade máxima do bloco é v m a x . A constante de força da mola é:

  1. m g A
  2. m g v m á x 2 A
  3. m v m á x 2 2 A
  4. m v m á x 2 A 2
  5. m v m á x 2 2 A 2

Ver solução completa

Um conhecido brinquedo consiste em uma pista contendo um “loop” circular de raio R e um trecho horizontal O A . No ponto O , localiza-se um lançador, constituído de uma mola ideal relaxada, de constante elástica k . Um carrinho (representado por um pequeno bloco na figura abaixo) de massa m é colocado inicialmente em O . Empurra-se o carrinho, comprimindo-se a mola de Δ x até o ponto C . Neste ponto o carrinho é liberado a partir do repouso perfazendo o percurso C - O - A - B - A - D , perdendo contanto com a mola no ponto O e percorrendo todo o “loop” sem perder contato com a sua superfície. Desprezando-se o atrito em todo o percurso e considerando como dados do problema:

R , k , Δ x , m e g , calcule:

  1. O módulo da velocidade do carrinho ao passar por A ;
  2. O módulo da velocidade do carrinho ao passar por B ;
  3. Represente em um diagrama as forças que atuam sobre o carrinho ao passar por B e determine o módulo da força de contato, N → , neste ponto;
  4. A compressão mínima da mola Δ X m i n para que, ao passar por B , o carrinho esteja na iminência de perder o contato com o “loop”.

Ver solução completa

Uma mola de constante elástica K tem uma de suas extremidades fixas em um ponto P e um corpo de massa M preso à outra extremidade. A mola tem comprimento de repouso l , massa desprezível e pode girar sem atrito em torno do ponto P . Em um dado instante [figura (I)] o sistema massa-mola se encontra na posição horizontal com a mola indeformada, sendo, então, liberado a partir do repouso. Ao passar pela posição mostrada na figura (II) sabe-se que a distância do corpo de massa M ao ponto P é igual a l + ∆ x . A aceleração gravitacional no local tem módulo g . Assinale a alternativa correta quanto ao módulo v da velocidade do corpo na posição da figura (II).

(a) v = 2 g l + Δ x

(b) v = K Δ x M

(c) v = 2 g Δ x - K Δ x 2 M

(d) v = 2 g l + Δ x - K Δ x 2 M

(e) v = K M Δ x

(f) v = 2 g l + Δ x + K Δ x 2 M

Ver solução completa

Um sistema formado por dois blocos de mesma massa m , presos por uma mola de constante elástica k e massa desprezível, encontra-se incialmente em repouso, apoiado sobre o chão conforme a situação ( I ) da figura abaixo.

a) Em relação a seu comprimento natural, de quanto a mola está comprimida quando o sistema se encontra em equilíbrio [na situação ( I )]? A resposta deve ser dada em termos de m , g e k .

b) Faça um diagrama das forças que atuam em cada um dos blocos na situação do item anterior.

c) Um agente externo empurra o bloco de cima, fazendo com que este abaixe de uma distância ∆ y adicional em relação a posição de equilíbrio, conforme mostrado na situação ( I I ). Em seguida, o bloco de cima é liberado. Qual a altura máxima h , em relação à posição de equilíbrio, atingida pelo bloco de cima, supondo que o bloco de baixo não perde contato com o solo [situação ( I I I ) da figura]? A resposta deve ser dada em termos de m , g , k e ∆ y .

d) Qual o valor máximo de ∆ y para que o bloco de baixo nunca perca contato com o chão? A resposta deve ser dada em termos de m , g e k .

Ver solução completa

Q 8 - Um revólver de brinquedo é usado para disparar projéteis de massa m = 5,0   g , verticalmente, utilizando para isso a compressão de uma mola de constante elástica k = 200   N / m e comprimento natural (não deformada) L 0 = 4,0   c m . Quando o revólver é preparado para atirar, a mola é comprimida e seu comprimento é