Exercícios Resolvidos de Limite de uma Sequência

Ver Teoria

Enunciado

Passo 1

Primeiramente, vamos relembrar como calculamos o limite de uma sequência a n n = 1 ∞ :

lim n → ∞ ⁡ a n

No nosso caso, ficamos com:

lim n → ∞ ⁡ cos ⁡ n π 2

Se esse limite existe e for um número, a sequência converge e o limite dela é este número. Caso contrário, ela diverge.

Passo 2

Perceba que estamos lidando com uma função periódica. Você multiplicar ou dividir o ângulo ali dentro do cosseno não muda em nada o fato dele ser periódico, você só muda o período. Dá uma olhada no gráfico:

Note que estamos vendo a função, que aceita um n que não seja inteiro. Porém, a função se comporta igualmente a sequência, pros casos de n inteiro, então a gente pode tentar visualizar como se fossem a mesma coisa sem problemas!

Agora olhe os dois juntos:

Viu só? Apenas mudou o período. Continua sendo periódica e, sendo assim, o limite não existe, pois fica variando entre - 1 e 1 .

Resposta

lim n → ∞ ⁡ cos ⁡ n π 2 = ∄

O limite não existe.

Exercícios de Livros Relacionados

Determine se a sequência converge ou diverge. Se ela convergir, encontre o limite. a n = 1 - 0,2 n
Determine se a sequência converge ou diverge. Se ela convergir, encontre o limite. a n = n 1 + n
Determine se a sequência converge ou diverge. Se ela convergir, encontre o limite. a n = e 1 n
Determine se a sequência converge ou diverge. Se ela convergir, encontre o limite. n 2 e - n