Exercícios Resolvidos de Mudança Qualquer de Variáveis

UNICAMP, Cálculo 2, P2 - 2014.2 - 6ª Noturno, Questão 2

Calcule

R   cos y - x y + x d A

Em que R é a região trapezoidal com vértices ( 1,0 ) , ( 2,0 ) , ( 0,2 ) , ( 0,1 ) .

Passo 1

Vamos começar esboçando essa região para entender melhor o problema. Lançando esses pontos em um gráfico, temos isso aqui:

Como o problema disse, um trapézio.

Como podemos ver, nossa região está limitada pelas retas:

x = 0

y = 0

Essas são fáceis de ver, certo? Temos também as retas inclinadas:

y = - x + 1

y = - x + 2

Para achar essas equações, você pode substituir os pontos na equação geral da reta y = a x + b . Ou, pode simplesmente ver pelo gráfico que os coeficientes das retas são a = - 1 , uma vez que elas cortam os eixos x e y no mesmo ponto e estão inclinadas para a esquerda. Como elas cortam o eixo y em + 1 e + 2 , os coeficientes b são esses.

MOSTRAR SOLUÇÃO COMPLETA

Passo 2

Beleza, precisamos resolver a integral

R   cos y - x y + x d A

Onde R é limitada pelas retas:

x = 0

y = 0

y = - x + 1                   y + x = 1

y = - x + 2                       y + x = 2

Bem... tem muito " y + x " e " y - x " nessa história aí, né? Tanto na integral como nas retas que limitam a região. Então, fazer uma substituição:

y + x = u

y - x = v

Parece uma boa. Vamos fazer isso. Vamos isolar x e y nessa mudança. Somando as duas equações, temos:

2 y = u + v                 y = u + v 2

y + x = u                   x = u - v 2

Passo 3

Agora vamos calcular o Jacobiano disso aí.

Temos

x = u - v 2

y = u + v 2

J = ( x , y ) ( u , v )     = x u x v y u y v

x u = 1 2

x v = - 1 2

y u = 1 2

y v = 1 2

J = 1 2 - 1 2 1 2 1 2 = 1 4 + 1 4 = 1 2

Lembre-se de que queremos o módulo do Jacobiano:

J = 1 2

Fazendo a substituição na integral, temos, então:

R   cos y - x y + x d A

1 2 R *   cos v u d u   d v

Passo 4

Agora vamos escrever a nova região de integração. Fazendo a substituição nas retas que limitam R , temos:

y + x = 1               u = 1

y + x = 2                 u = 2

Temos também:

x = 0

x = v - u 2 = 0                     v = u

y = 0

y = u + v 2 = 0                 v = - u

Resumindo, as novas retas são as seguintes:

u = 1

u = 2

v = u

v = - u

Graficamente:

Podemo ver, então, que u varia entre 1 e 2 , logo, 1 u 2 e que v varia entre as retas v = u e v = - u , portanto, - u v u .

Aplicando isso na nossa integral, temos:

1 2 1 2 - u u cos v u d v d u

Passo 5

Agora vamos integrar isso aí. Primeiro em relação a v :

= 1 2 1 2 u   s e n v u - u u d u =

= 1 2 1 2 u   s e n 1 - s e n - 1 d u =

= 1 2 u   s e n ( 1 ) d u =

Agora em relação a u :

= u 2 2 s e n ( 1 ) 1 2 =

= 2 s e n 1 - 1 2 s e n 1 =

= 3 2 s e n 1

Resposta

3 2 s e n 1

Esse conteúdo é exclusivo para cadastrados.

Cadastre-se grátis no maior portal de exatas do Brasil!

Relaxa, não vamos publicar nada no seu nome.

  • Resumões direto ao ponto
    Resumões
    direto ao ponto
  • Exercícios resolvidos passo a passo
    Exercícios resolvidos
    passo a passo
  • Videoaulas incríveis
    Videoaulas
    incríveis
  • Aulões Salva-Vidas
    Aulões
    Salva-Vidas