Exercícios Resolvidos de Mudança Qualquer de Variáveis

UFF, Cálculo IIIA, Listas GMA - Lista 1, Questão 24b

  1. Calcule as seguintes integrais:

D   x - y x + y 2 d x d y

D é a região triangular de vértices 0 ,   0 ,   1 ,   0   e   0 ,   1 .

Passo 1

Bem, essa integral parece esquisita e difícil de calcular, né?

Então vamos tentar fazer uma mudança de variável pra ver se simplifica as coisas. Seria muito bom se uma das variáveis fosse

u = x + y

e a outra

v = x - y

Mas vamos entender a região, primeiro, pra ver se dá pra fazer assim mesmo.

MOSTRAR SOLUÇÃO COMPLETA

Passo 2

Podemos desenhar esse triângulo aí simplesmente obedecendo ao problema e colocando esses pontos no plano cartesiano

Em seguida ligando os pontos por retas...

Pegou? Viu quem é a região?

Repare que essa hipotenusa do triangulo está em cima da reta x + y = 1 , afinal de contas, quando x = 0 , y = 1 e vice versa.

Então de fato, realizar essa mudança simplifica muito as contas.

Passo 3

Você não pode se esquecer de que toda mudança exige que determinemos os limites dos novos termos, no caso é o u e o v .

Para o limite de u , é bem fácil, afinal sabemos que u = x + y e na região o valor máximo de x + y = 1 . Logo

0 u V a l o r   m á x i m o

0 u 1

Quanto ao v , bem, vamos usar as informações das retas que não usamos... No caso é a reta x = 0 e y = 0 :

Montando um sistema com as mudanças

x - y = v x + y = u

substituindo o valor de x = 0 nesse sisteminha

v = - u

e substituindo o valor de y = 0 ...

v = u

onde tiramos que

- u v u

Passo 4

Não podemos nos esquecer de modo algum que esse tipo de mudança exige que encontremos o J a c o b i a n o   J .

Porém, o jacobiano a gente calcula a partir de J a c o b i a n o   I n v e r s o   J * , já que temos as variáveis u e v isoladas, ao invés de x e y :

J * = ( u , v ) ( x , y )     = u x u y v x v y

como

u = x + y

v = x - y

Basta que calculemos essas derivadas em seguida resolver esse determinante, saca?

u x = 1           u y = 1

v x = 1         v y = - 1

J * = 1 1 1 - 1 = - 2

Então, temos:

J = 1 J *         J = 1 2

Passo 5

Finalmente, podemos retornar a integral substituindo tuuudo:

D   x - y x + y 2 d x d y =

0 1 - u u v u 2 J   d v d u =

1 2 0 1 - u u v 2 u 2 d v d u

Agora é só calcular essa integral como manda os bons costumes, ou seja, primeiro a de dentro em termos de v (logo, considerando 1 u 2 como uma constante)...

1 2 0 1 - u u v 2 u 2 d v d u = 1 2 0 1 1 u 2 - u u v 2 d v d u =

Integrando e substituindo...

1 2 0 1 1 u 2 v 3 3 - u u d u =

1 2 0 1 1 u 2 u 3 3 - - u 3 3 d u =

1 2 0 1 1 u 2 u 3 3 + u 3 3 d u =

1 2 0 1 1 u 2 2 u 3 3 d u = 1 3 0 1 u   d u = 1 3 u 2 2 0 1

= 1 6

Resposta

Esse conteúdo é exclusivo para cadastrados.

Cadastre-se grátis no maior portal de exatas do Brasil!

Relaxa, não vamos publicar nada no seu nome.

  • Resumões direto ao ponto
    Resumões
    direto ao ponto
  • Exercícios resolvidos passo a passo
    Exercícios resolvidos
    passo a passo
  • Videoaulas incríveis
    Videoaulas
    incríveis
  • Aulões Salva-Vidas
    Aulões
    Salva-Vidas