Exercícios Resolvidos de Mudança para Coordenadas Polares

UERJ - Cálculo 2 - Lista do Hamilton - Integral Dupla - 4b

Calcular a área da região abaixo usando integral dupla

x , y R 2 x 2 + y 2 + 8 y 0   e   x 2 + y 2 16

Passo 1

Bom, antes de tudo vamos fazer um esboço dessa região para entender melhor o que está acontecendo. Temos a equação:

x 2 + y 2 16

Essa é uma circunferência de raio r = 4 centrada na origem e, como vemos pela inequação (o sinal ), a região que queremos está fora dela.

Temos também a seguinte inequação:

x 2 + y 2 + 8 y 0

Que curva é essa? Se não fosse pelo termo 8 y , você pensaria direto em uma circunferência, não é? E realmente é um circunferência, esse termo 8 y apenas nos diz que ela não está centrada na origem.

Sempre que você vir uma equação desse tipo, com um termo quadrático e um simples da mesma variável ( y 2 e 8 y ) é uma boa tentar juntar esses termos, completando o quadrado que eles formam. Como assim?

Queremos escrever o termo y 2 + 8 y na forma y + a 2 , completando o que for necessário. Desenvolvendo esse quadrado, temos:

y + a 2 = y 2 + 2 a y + a 2

Se nós fizermos a = 4 , temos:

y + 4 2 = y 2 + 8 y + 16

Esses dois primeiros termos estão presentes na nossa inequação, o último não, mas beleza. Vamos substituir y 2 + 8 y por y + 4 2 , mas como sinifica adicionar um termo " + 16 " que não estava lá antes, vamos retirar esse termo, ok? Olha só:

x 2 + y + 4 2 y 2 + 8 y + 16 - 16 0

Assim não alteramos a inequação, certo? Beleza, então temos:

x 2 + y + 4 2 16

Isso é uma circunferência de raio r = 4 , como previmos, não centrada na origem (ela está centrada em ( 0 , - 4 ) ). Como vemos pela inequação (o sinal ) a região que queremos está dentro dela.

Portanto, temos isso aqui:

MOSTRAR SOLUÇÃO COMPLETA

Passo 2

Como nós queremos a área da região, precisamos resolver a seguinte integral:

área D = D   d x d y

Onde D é a região marcada em cinza na figura.

Como a região é limitada por círculos, vamos usar coordenadas polares aqui:

x = r cos θ

y = r sen θ

J = r

A circunferência vermelha x 2 + y 2 = 16 se transforma então em r = 4 . Agora vamos fazer essa substituição na outra circunferência x 2 + y + 4 2 = 16 :

r cos θ 2 + r   sen θ + 4 2 = 16

r 2 cos 2 θ + r 2 sen 2 θ + 8 r sen θ + 16 = 16

r 2 + 8 r sen θ = 0

r = - 8 sen θ

Passo 3

Beleza, agora vamos olhar um pouco para a figura. Repare que, dentro da nossa região D , temos o raio variando desde a circunferência vermelha até a azul, portanto:

4 r - 8 sen θ

Não está errado esse sinal " - " não? Não, porque abaixo do eixo y ,   sen θ tem valores negativos, portanto, - sen θ é um número positivo.

Beleza, agora vamos analisar o intervalo de θ . Antes de sair chutando, dá uma olhada de novo a figura da nossa região D . Lembra que θ é marcado em relação à parte positiva do eixo x ? Queremos então esses ângulos aqui em amarelo:

Mas como vamos descobrir esses ângulos? Bom, esses ângulos batem exatamente na interseção das duas curvas né? Então que tal acharmos essa interseção! Vamos começar substituindo logo x = r cos θ e y = r sin θ nas funções:

x 2 + y 2 + 8 y = 0 r 2 + 8 r sin θ = 0

x 2 + y 2 = 16 r 2 = 16 r = 4

Substituindo r = 4 na primeira equação:

16 + 32 sin θ = 0

sin θ = - 0.5

E quais ângulos têm o seno igual a - 0.5 ? Esse aqui:

360 ° - 30 ° = 2 π - π 6 = 11 π 6

180 ° + 30 ° = π + π 6 = 7 π 6

Logo, chegamos à conclusão de que

7 π 6 θ 11 π 6

Passo 4

Nós descobrimos então que, em coordenadas polares, podemos escrever essa região como:

{ r , θ   ϵ   R 2 | 210 ° θ 330 ° ; 4 r - 8 sen θ }

Vamos então fazer finalmente essa substituição polar na integral (não se esqueça do Jacobiano):

área D = D   d x d y = 7 π 6 11 π 6 4 - 8 sen θ r   d r d θ =

Passo 5

Agora vamos integrar isso aí em relação a r :

= 7 π 6 11 π 6   r 2 2 4 - 8 sen θ d θ =

= 1 2 7 π 6 11 π 6 64 sen 2 θ - 16   d θ =

= 7 π 6 11 π 6 32 sen 2 θ - 8   d θ =

Passo 6

Agora integramos em relação a θ , mas antes disso, precisamos nos lembrar da seguinte relação:

sen 2 θ = 1 - cos 2 θ 2

Isso nos dá

= 7 π 6 11 π 6 16   1 - cos 2 θ - 8   d θ =

= 7 π 6 11 π 6 - 16   cos 2 θ + 8   d θ =

= - 8 sen 2 θ + 8 θ 7 π 6 11 π 6 =

= 8 - sen 11 π 3 + 11 π 6 - - sen 7 π 3 + 7 π 6   =

= 8 - sen 6 π 3 + 5 π 3 + 2 π 3 + sen 6 π 3 + π 3   =

= 8 - sen 2 π + 5 π 3 + 2 π 3 + sen 2 π + π 3   =

= 8 - sen 5 π 3 + 2 π 3 + sen π 3   =

Agora vamos lá:

π 3 = 60 °                 sen π 3 = sen 60 ° = 3 2

5 π 3 = 300 °               sen 5 π 3 = sen 300 ° = - sen 60 ° = - 3 2

Substituindo:

= 8 3 2 + 2 π 3 + 3 2   =

= 16 π 3 + 8 3

Resposta

16 π 3 + 8 3

Esse conteúdo é exclusivo para cadastrados.

Cadastre-se grátis no maior portal de exatas do Brasil!

Relaxa, não vamos publicar nada no seu nome.

  • Resumões direto ao ponto
    Resumões
    direto ao ponto
  • Exercícios resolvidos passo a passo
    Exercícios resolvidos
    passo a passo
  • Videoaulas incríveis
    Videoaulas
    incríveis
  • Aulões Salva-Vidas
    Aulões
    Salva-Vidas