Em um lançamento oblíquo sem resistência do ar, é correto afirmar que:

  1. A aceleração no topo da trajetória é zero.
  2. O movimento horizontal do projétil é uniformemente acelerado.
  3. O projétil tem aceleração constante no eixo vertical.
  4. A velocidade total na altura máxima é zero.
  5. O alcance máximo do lançamento se dá com um ângulo diferente de 45 graus.

Passo 1

Em um lançamento oblíquo, sem resistência do ar, durante todo o percurso de determinado projétil, só uma força vai estar atuando, beleza? E quem será ela se não a força peso? Dá uma olhada no esquema de um lançamento oblíquo:

Se a força peso não para de atuar, então não tem como a aceleração do projétil ser zero em nenhum ponto da trajetória, não é mesmo? Sempre vai existir aceleração e ela será a aceleração da gravidade! Então nisso já descartamos a letra a ) e já temos a resposta correta, a letra c ) .

Mas pera, porque não pode ser a b ) , d ) ou e ) ? Calma, vamos ver cada caso! Pra começar, olha bem pro projétil da figura: o que acontece com ele na horizontal? Tá vendo que não tem forças? Opa, sem forças resultantes, não tem como o corpo se acelerar horizontalmente! Logo ou ele está à velocidade constante ou parado, mas agora que estamos espertos não podemos marcar a letra b ) por causa disso!

Agora, presta bastante atenção na letra d ) : ele diz velocidade total! Ora, se o projétil está se movendo com velocidade constante na horizontal, mesmo que na vertical, em altura máxima, a velocidade seja zero, a velocidade total não tem como ser, não é mesmo? Até porque a velocidade total depende dessas duas componentes.

Pra fechar com chave de ouro, vamos fazer umas continhas pra ver a letra e ) . Seja:

S = S 0 +   V o t - g t 2 2

A gente pode usar essa equação tanto na horizontal quanto na vertical. Vamos olhar primeiro na vertical, beleza? Considerando o ponto inicial e o final como o chão, a gente pode achar o tempo de queda do projétil da seguinte forma:

0 = 0 +   V o y t - g t 2 2

2 V o y t = g t 2

t = 2 V o y g

Agora, na horizontal, como não temos aceleração, a fórmula vai ganhar uma nova cara, dá uma olhada:

S x = S 0 x +   V o x t

Como o tempo que o projétil demora pra cair é o tempo que ele demora pra percorrer seu alcance, vamos juntar os dois resultados? Partiu então:

S x = S 0 x +   V o x 2 V o y g

S x - S 0 x =   V o x 2 V o y g

A =   2 V o y V o x g

Tá, mas e daí? A letra e ) fala de ângulos e na fórmula acima não tem nenhum! Calma! A gente consegue por sim ângulos na fórmula do alcance se lembrarmos que as componentes x e y do vetor velocidade inicial nada mais são do que o produto entre o módulo da velocidade inicial total vezes o cosseno e o seno, respectivamente, que essa velocidade faz com a horizontal. Então repaginamos o resultado anterior e conseguimos essa expressão simpática:

A =   2 V o ²   g s e n   θ   c o s   θ

Se plotássemos a função f θ = s e n   θ   c o s   θ , teríamos a seguinte curva:

Perai, quer dizer que quando essa função é máxima, vamos ter alcance máximo também? Exatamente! E veja que o ângulo que maximiza essa função são múltiplos positivos de π 4 = 45 o . Então nossa letra e ) não vai poder ser a correta.

Resposta

L e t r a   C

Exercícios de Livros Relacionados

Suponha que o ângulo inicial α 0 da Figura 3.26 seja 42,0 ° e que d se
Galileu mostrou que, se os efeitos da resistência do ar são ignorados,
Dentro do carro, um motorista atira verticalmente para cima um ovo, qu
Os esquiadores experientes costumam dar um pequeno salto antes de cheg